Home Dicas Colaboradores Alta rotatividade no varejo e as consequências para os negócios
rotatividade de trabalhadores

Alta rotatividade no varejo e as consequências para os negócios

0
450

Você pode ter um atendimento impecável e uma estrutura completa, mas se a sua equipe de colaboradores não estiver alinhada tudo pode vir por água abaixo. Um dos grandes entraves para formar a equipe ideal está na alta rotatividade de pessoal. E as consequências disso não são boas para qualquer negócio.

Também conhecido como turnover, a alta rotatividade é vista como um problemão para a imagem e para a saúde financeira da empresa. As consultorias de varejo estimam que, em média, 1/3 dos funcionários recém-contratados abandonam o trabalho do período de experiência.

Imagine só que situação chata o cliente entrar na sua loja e sempre encontrar um rosto diferente para atendê-lo. Pode passar a sensação de desorganização ou mesmo que o ambiente de trabalho não é muito agradável.

O cliente gosta de conhecer as pessoas que trabalham nos lugares onde costuma frequentar e comprar. É igual quando vamos àquele tradicional restaurante e somos atendidos pelo mesmo garçom cordial e velho de casa – não tem nada melhor.

O que acontece é que grande parte desse comércio de alimentos e bebidas entende a necessidade de fidelizar não só os consumidores, mas também os colaboradores. Porque eles vão dar a cara ao negócio ao manter essa proximidade e esse atendimento mais intimista com o cliente. Há atendentes que ficam por anos e até décadas no mesmo restaurante até se aposentarem.

Esse modelo deve ser intensamente compartilhado no varejo. Agora, se por aí você tem sofrido com a alta rotatividade de colaboradores na sua loja, não se preocupe! Vou te ajudar a identificar o problema e depois sugerir algumas dicas para mudar esse cenário de uma vez por todas.

Por que a alta rotatividade acontece?

Não é segredo que a insatisfação do colaborador é o principal motivo para a maioria das demissões e abandonos de função, mas não é o único.

A questão salarial também fala muito alto – mesmo os melhores locais de trabalho não conseguem segurar funcionários que recebem ofertas muito melhores.

E ainda tem outro fator, que é quase um coringa: quando sua loja é vista apenas como um “emprego temporário”, um porto seguro até a pessoa encontrar outra vaga mais interessante.

Pode ser ainda que o problema esteja no processo de recrutamento de novos funcionários. O departamento responsável precisa utilizar as melhores estratégias para escolher as peças-chaves para a sua loja.

A instabilidade na empresa, sem um plano de carreiras ou benefícios para os trabalhadores, pode ser outro fator para que as pessoas busquem novas oportunidades.

Citei alguns exemplos que acabam gerando essa alta rotatividade de pessoal, que pode acontecer de quatro formas:

  • Voluntária: quando o funcionário pede demissão;
  • Involuntária: quando o colaborador é demitido;
  • Funcional: quando o colaborador improdutivo sai da empresa, por vontade própria ou demitido;
  • Disfuncional: quando o colaborador é capacitado e resolve sair da loja.

A forma até não importa tanto, mas quando isso acontece com muita frequência os impactos negativos para sua loja você já sabe:

  • Maior gasto com encargos trabalhistas;
  • Desgaste com processo para novas admissões;
  • Queda na receita da loja;
  • Insegurança e instabilidade do restante da equipe;
  • Queda na produtividade da loja;
  • Clima organizacional ruim.

Como calcular a taxa de turnover?

Para saber se a taxa de turnover da sua loja é alta ou não – e eu espero que não – tem uma continha bem fácil para fazer. Olha só:

  1. Some o número de admissões e o número de demissões;
  2. Agora, divida o resultado da soma por 2;
  3. Divida o resultado obtido pelo número total de funcionários da loja;
  4. Por fim, multiplique por 100.

Vamos pensar na seguinte hipótese: no ano passado, o seu supermercado, que tem o total de 28 trabalhadores, admitiu 13 novos funcionários e demitiu 17 no mesmo período:

13 + 17 = 30
30 / 2 = 15
15 / 28 = 0,535
0,535 x 100 = 53,5%
Taxa de turnover = 53,5%

Estima-se que o índice ideal de rotatividade é de 10%. Mas ao mesmo tempo, um estudo da DIEESE já apontou que a taxa de turnover média no Brasil nos últimos anos já chegou a 62,8%.

Então, se a sua loja tiver chegado a esse índice do nosso exemplo, trabalhe para reduzir essa rotatividade, mas saiba que ela pelo menos está na (triste) média do Brasil.

Dicas para reduzir a alta rotatividade

imagem em vetor de funcionários com dúvidas

Você precisa repensar algumas estratégias para conseguir atrair bons colaboradores e fazer com que eles se sintam confortáveis em vestir a camisa da empresa. Há algumas formas para você conseguir reduzir a rotatividade na loja e ainda minimizar os impactos dela.

Problemas como a desmotivação no ambiente de trabalho, a falta de reconhecimento por parte das lideranças e o clima ruim podem ser facilmente sanados com algumas ações. Vamos lá:

Programas de processos seletivos

Tudo bem se você não tem uma área específica de Recursos Humanos, que trata justamente de recrutamento e seleção. Mas é importante você ter alguém empenhado nessa função e que esse profissional seja do ramo.

Assim poderá avaliar a capacidade e aptidão dos candidatos certos para as necessidades da loja. Os riscos são bem menores do turnover quando esse processo de seleção é feito corretamente.

A mesma pessoa ou equipe deve atuar no ato das rescisões trabalhistas para entender o porquê do funcionário estar saindo. E dessa forma evitar que o problema se repita ou mesmo para não motivar novas desistências.

Agora, se você não tem esse profissional de RH na sua loja, a minha sugestão é terceirizar o processo. Muitas empresas especializadas oferecem programas para admissão de colaboradores e com isso vão te ajudar a achar os perfis certos para a formação da sua equipe.

Capacitação

Capacitar novos colaboradores e reciclar os treinamentos para os veteranos é uma forma de manter os processos da loja e a equipe em harmonia. Com os seus colaboradores em plena sintonia, os clientes vão sentir essa vibração e melhorar o nível de satisfação com o atendimento da loja.

A capacitação interna também serve para demonstrar à sua equipe que você se preocupa com ela e no crescimento dos profissionais. Além disso, os funcionários tendem a se sentir mais valorizados e vão corresponder com produtividade e compromisso.

Aqui mesmo no blog já falamos sobre como é possível capacitar sua equipe a custo zero. Aproveite para ler esse conteúdo também!

Benefícios

Havendo alguma possibilidade, pois sei que às vezes a margem de lucro da loja ainda é um pouco apertada, ofereça uma remuneração atrativa. Mas se ainda não consegue melhorar a remuneração salarial, você pode se beneficiar de outras ações para motivar a sua equipe.

Tem muito colaborador que se sente mais atraído pela estabilidade que a empresa demonstra e os benefícios oferecidos do que a remuneração em si.

Por isso você deve apostar em vales-alimentação, refeição, transporte e um bom plano de saúde para que os seus funcionários se sintam cada vez mais satisfeitos em trabalhar para você.

Comunicação

Seja sempre muito aberto ao diálogo com os seus colaboradores e nunca deixe de informá-los sobre mudanças e decisões importantes da loja. Faça com que eles se sintam inseridos diretamente no desempenho dos negócios.

Manter essa comunicação aberta é fundamental para que você também consiga identificar as necessidades deles e até mesmo suas expectativas com a sua loja. Equipe que trabalha unida e em plena comunicação tem tudo para garantir bons resultados.

Faça as suas apostas e dê adeus à alta rotatividade!

Aproveite para ler sobre as estratégias para ser um bom empregador. É o famoso employer branding, que trata sobre a satisfação que os funcionários têm em trabalhar com você.

Até a próxima!