Home Dicas Black Friday A Black Friday 2018 e a recuperação da economia. O que esperar?

A Black Friday 2018 e a recuperação da economia. O que esperar?

0
869

A Black Friday 2018 tem uma missão dura pela frente: crescer em meio a um cenário de instabilidade política e econômica. O mercado sempre se aquece quando a data chega, mas há um porém. Como o Brasil está em recessão há algum tempo, muitos lojistas estão receosos com o desempenho futuro.

Entender como o mercado irá funcionar na Black Friday 2018 é muito importante para você se planejar. Ir no escuro é perigoso, já que sem dados reais e concretos você corre o risco de gastar demais ou investir de menos e não ter o retorno que espera.

Apesar da instabilidade, uma coisa é certa: a Black Friday 2018 vai sim vender bastante. Só precisamos entender o quanto é esse bastante, não é?

Black Friday 2018; escada rolante de shopping

A Black Friday 2017 e o aumento das vendas

Para realmente entender como vai funcionar a Black Friday 2018, precisamos olhar a situação do ano passado. 2017 não foi o melhor ano para as vendas no período, mas conseguimos crescer mesmo durante a recessão.

2017 foi o ano de apertar os cintos e trabalhar duro para conseguir continuar crescendo no varejo. E foi isso o que fizemos: mesmo com um cenário econômico bem difícil e complicado, o varejo apresentou crescimento de 4,9% nas vendas em todo o país. Isso não é motivo pra comemorar: 2016 cresceu 11% em relação a 2015.

No total, R$2,1 bilhões de reais foram movimentados no Brasil, um número ótimo mesmo em um cenário de refração. Nesse ano, o momento é de recuperação, portanto a expectativa é que essa cifra aumente para que assim consigamos resgatar o ritmo de compras que vínhamos seguindo nos anos anteriores.

homem observa gráficos e dados da black friday 2018 em tablet

As pessoas conhecem mais a Black Friday

A Black Friday pegou de vez no Brasil de 2010 pra cá. A primeira edição aconteceu exclusivamente online, mas mesmo com todo o sucesso da estreia ainda não chegou nem perto dos bilhões que já movimentamos só no ano passado. Isso, é claro, se explica pelas campanhas sendo feitas somente pela internet.

De qualquer forma, até 2014, somente 27% dos brasileiros tinham ouvido falar na Black Friday. Hoje, 99,5% das pessoas está ciente da data.

Isso mostra que nós aderimos à Black Friday em um ritmo assombroso, e que o futuro para quem se aproveita da data é promissor. Mas será que o varejo consegue vencer o online, a “casa” da Black Friday 2018 e anteriores? Especialistas e pesquisas dizem que sim.

O varejo físico e a Black Friday 2018

A “luta” entre o varejo físico e o e-commerce na Black Friday 2018 é uma realidade que tira o sono de muitos lojistas. Como a data surgiu principalmente online, muita gente acredita que os melhores preços estão nos sites e não nas lojas, e preferem comprar por lá.

Black Friday 2018; gestores em reunião analisando gráficos da empresa

Então é isso que a maioria das pessoas imagina: o varejo físico vende menos que o varejo online, e quem tem uma loja física já vai sair em desvantagem. Mas será que isso é verdade?

Depende bastante do segmento. A Dunnhumby, empresa de consultoria, realizou no ano passado uma pesquisa pra saber o que o brasileiro prefere comprar em determinados canais. O resultado não foi tão surpreendente assim. Alguns produtos são mais procurados em sites enquanto outros têm preferência nas lojas físicas.

Os smartphones, por exemplo, têm mais saída online, isso não há como negar. 59% das compras são feitas em marketplaces online enquanto 18% das pessoas prefere comprar em shoppings e outras 19% em lojas no centro da cidade.

Por outro lado , os eletrodomésticos linha branca conseguem porcentagens maiores de venda no varejo físico: são 47% distribuídos entre lojas no shopping, no centro e em supermercados contra 40% online.

As pessoas querem comprar de tudo

As promoções no varejo físico para a Black Friday não podem desanimar só por causa da tradição do online nessa data. Como mostramos, vários outros artigos têm mais saída fisicamente, como produtos de beleza, de higiene pessoal e alimentos em geral.

mulher em escada rolante na black friday 2018

E o mais interessante dessa pesquisa da Dunnhumby é que ela mostra que não importa qual é o seu segmento, sempre vai ter gente procurando seus produtos na Black Friday 2018. 55% das pessoas, por exemplo, disse que vai comprar bebidas alcoólicas na Black Friday, sendo que 62% delas vai comprar no varejo físico, e 40% em supermercados ou mercadinhos.

Outro dado interessante: 70% das pessoas disse que vai aproveitar a Black Friday 2018 pra comprar alimentos, sendo que 58% dessas compras serão feitas em mercados. Olha só que interessante: pessoas estão querendo comprar produtos que não são normalmente associados à própria Black Friday, e estão querendo comprar em vários segmentos físicos, não só nas lojas online. É oportunidade, hein?

A oportunidade perfeita pra você vender está aí. A Black Friday 2018 é como um estado de espírito: as pessoas estão querendo comprar e você só precisa… vender!

Quer saber como abaixar seu preço quando a Black Friday 2018 chegar? Então vamos continuar a conversa no nosso próximo artigo!