Home Dicas Covid-19 Covid-19: guia para lojistas do segmento de materiais de construção

Covid-19: guia para lojistas do segmento de materiais de construção

0
1002

O segmento de materiais de construção está entre um dos grandes impactados pela pandemia da COVID-19. Apesar de oferecer mercadorias consideradas essenciais, e portanto ter autorização para manter as portas abertas em boa parte dos estados, empresários da área viram o fluxo de caixa diminuir com a interrupção das obras de maior porte.

 

A boa notícia é que, assim como aconteceu em outros setores, a quarentena têm sido responsável por uma mudança no perfil de compra de boa parte dos consumidores. E isso cria demandas que abrem novos nichos de mercado para quem souber aproveitar.

Quer saber mais? A seguir, preparei algumas dicas certeiras para todo mundo continuar vendendo materiais de construção durante a pandemia. Saiba como adaptar a loja e o mix para a realidade da COVID-19 e faça a roda da economia girar. Vamos lá?

Vista superior de uma construção com três homens trabalhando. Um desce a escada, os outros conversam sobre a planta baixa.

Como vender materiais de construção em tempos de COVID-19?

Depois de entrevistar alguns empresários do segmento em São Paulo, atual epicentro da pandemia no país, o G1 concluiu que a grande lição do momento é não perder vendas de jeito nenhum. Mesmo que isso signifique fazer alterações no mix e alterar o esquema de distribuição.

O atual contexto fez aumentar a urgência de algumas obras de infraestrutura, principalmente de pronto-socorros, hospitais e rodovias, essenciais no combate da doença. Esse crescimento colabora para manter o fluxo de caixa nas lojas de materiais de construção, mas é importante diversificar o perfil de vendas, sobretudo nas micro e pequenos empresas.

Com a população passando mais tempo dentro de casa, o foco deve estar, basicamente, nos pequenos reparos e reformas, serviços que podem ser realizados pelos próprios consumidores sem grandes complicações. Em São Paulo, as “miudezas” são responsáveis por 90% das vendas no momento.

Com esses dados, fica claro que é hora de incluir no seu mix de materiais de construção itens como fios, lâmpadas, azulejos, e itens básicos do kit de ferramentas.

Um homem segurando furadeira vermelha e usando cinto de utilidades cheio de ferramentas.

Invista na divulgação

Além de adaptar o mix de produtos, em tempos de COVID-19 é essencial investir em uma estratégia de comunicação que seja eficiente em divulgar os materiais de construção para a quarentena. Além de ser super importante dialogar com as necessidades dos clientes.

É hora de humanizar a empresa e trazê-la para mais perto dos seus clientes. Lembre-se que você não está vendendo apenas materiais de construção, mas a oportunidade das pessoas assumirem o cuidado com as suas casas – que no momento é sinônimo de acolhimento e proteção.

Fala, Mart!
Muitos estarão se aventurando pela primeira vez com esse tipo de serviço e a melhor forma de agregar valor às mercadorias é com conteúdos didáticos que sirvam de referência para as reformas.

Para aumentar o ticket médio monte kits personalizados que atendam às principais necessidades do momento: consertar vazamentos, desentupir pias, trocar lâmpadas, pintar paredes. As reformas, nesse momento, tem sido mais simples e pontuais, aposte em produtos mais básicos.

Para deixar tudo ainda mais prático, integre a divulgação do mix com as ferramentas de compra online. Caso não tenha uma plataforma própria, prepare sua equipe para fechar compras direto nas mídias sociais. Seus clientes agradecerão a comodidade!

Como preparar a loja de materiais de construção para a COVID-19?

Um homem com luvas azuis segura embalagem de spray de limpeza perto de uma janela.

Por mais que as vendas pela internet sejam o principal alvo das estratégias durante a pandemia, alguns setores não podem abrir mão do seu espaço físico. Esse é o caso das lojas de material de construção, que devem adaptar sua estrutura de acordo com os novos protocolos da COVID-19.

O principal ponto diz respeito à limpeza do ponto de vendas. O ideal é atender em turnos, liberando a loja para um número limitado de clientes por vez. Essa medida, além de garantir o distanciamento social necessário para o momento, te ajuda a ter mais controle sobre a limpeza.

Como a principal forma de transmissão do novo coronavírus é pelo contato com gotículas de saliva contaminadas, as superfícies devem ser seu principal foco de atenção. Certifique-se de limpar bem os produtos e a região do caixa, onde há maior contato entre as pessoas.

Para saber quais produtos usar e como organizar uma rotina eficiente de limpeza, confira o guia completo que eu preparei!

Entrega à domicílio

Seguindo a necessidade imposta pelo momento, é importante oferecer aos clientes a opção de receber suas mercadorias em casa. Você diminui a circulação de pessoas nas lojas e nas ruas, além de ser a opção mais segura para os consumidores e seus colaboradores.

Adotar serviços de delivery não dispensa alguns cuidados relativos à COVID-19, é preciso manter uma higiene rigorosa durante todo o procedimento, do estoque até o momento da entrega. Combine com os clientes o esquema de entrega sem contato, em que os materiais de construção são deixados na porta, em vez de serem entregues em mãos.

Caso opte por contratar seus próprios entregadores, não se esqueça que a segurança deles é sua responsabilidade! Certifique-se que eles tenham máscaras de proteção, luvas e álcool gel sempre à disposição!

Se você quiser mais orientações e informações, eu preparei conteúdos especiais sobre a COVID-19. Não se esqueça que eu e o Martins.com.br estamos prontos para te ajudar a superar essa pandemia! Pra cima varejista!

DEIXE UMA RESPOSTA:

Please enter your comment!
Por favor, insira seu nome

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.