Restaurante e food service são a mesma coisa? Não! O food service é uma tendência de alimentação fora de casa, mas que no contexto da pandemia se aliou ao serviço de delivery e ao consumo em ambientes diferentes dos habituais restaurantes.

O objetivo da proposta é contribuir para a redução de contato entre as pessoas. Além disso, dar mais praticidade ao dia a dia dos consumidores. O assunto volta à tona com a nova onda de Covid-19, por causa da alta transmissibilidade da variante Ômicron, e incertezas para o mercado de alimentação.

Hoje, vamos conversar sobre essa tendência que deve chamar mais a atenção agora em 2022. As pessoas começaram a voltar para as atividades corporativas e acadêmicas presencialmente, mas ainda sem se submeterem aos apertados restaurantes.

Vamos com a gente!

Food service em 2022

O novo ano ainda é de muitas incertezas para as atividades econômicas no Brasil. Mas se tem um segmento que não se abalou e não vai se abalar com mais um ano de pandemia é o de alimentos.

Hoje, o Brasil figura entre o quarto maior mercado de food service do mundo. Perde posição apenas para as potências econômicas EUA, China e Japão. Em 2021, o setor de alimentos foi responsável por um faturamento de R$ 215 bilhões, representando cerca de 3% do PIB brasileiro.

Assim, para este ano, as estimativas também são boas, com destaque para o food service. No levantamento prévio da Associação Brasileira da Indústria de Alimentos (Abia), o mercado de food service pode atingir um faturamento de R$ 166,9 bilhões com a retomada das vendas. A estimativa é de que o aumento seja de 28%.

Um ótimo respiro depois que, no primeiro ano de pandemia, houve uma perda grande nas vendas, reduzindo a participação do food service no segmento de alimentos a 24,4%.

O que é food service?

Mas você deve estar se perguntando sobre o que é o food service. Depois de darmos um panorama do cenário do setor, vamos te explicar detalhadamente.

O food service, traduzindo para “comida fora do lar”, engloba toda a cadeia produtiva e de distribuição de alimentos e insumos para atender outras empresas de alimentos ou o próprio consumidor final.

Na definição feita pelo projeto Brasil Food Trends, também se trata de food service toda refeição adquirida para ser consumida no próprio domicílio. Essa refeição pode ser comprada em restaurantes, lanchonetes e afins, ou até mesmo via aplicativos para entrega delivery.

O food service pode ser prestado por variadas empresas que trabalham com a produção de refeições: bares, restaurantes, panificadoras, lanchonetes, food truck, rotisseria, cafeterias, o próprio food delivery e qualquer outro que oferece o serviço de produção e/ou distribuição de refeições.

A sociedade molda o food service

O food service é um mercado que não para de crescer e acompanha as constantes transformações da sociedade. É impulsionado pela rotina de mulheres que trabalham e não se dedicam apenas aos afazeres domésticos. Ainda que a preocupação com uma alimentação adequada continue sendo a prioridade.

Ou pela dupla e às vezes até tripla jornada de muitos consumidores que têm um período mais curto para preparar as refeições e recorrem à alimentação fora do lar ou por entrega em domicílio.

Além disso, pelo trabalho remoto imposto pelas circunstâncias da pandemia. E falando em pandemia, é um mercado impulsionado pela preocupação das pessoas em evitar aglomerações e locais fechados. E por assim em diante…

Assim, o food service surge à medida que o comportamento de consumo de alimentos também passa a mudar e busca suprir as novas necessidades dos consumidores. São os clientes que apontam para que rumo as empresas de food service devem caminhar.

Por isso que, com o passar do tempo, esse mercado passou a se consolidar e ser representado em grande parte por micro e pequenos empreendedores que passaram a atuar no preparo de refeições.

É um mercado em constante evolução e muito promissor!

Food service no atual contexto

De acordo com um relatório feito pela National Restaurant Association, dos Estados Unidos, cerca de 68% dos consumidores responderam estar mais dispostos a comprar alimentos para receber em casa ou no trabalho. Mais do que estavam antes da Covid-19.

Além disso, 53% dos respondentes da pesquisa acham fundamental comprar comida para viagem ou por delivery para garantirem uma maior prevenção contra a transmissão do coronavírus.

Neste contexto, as redes sociais se tornaram um potente canal de vendas para impulsionar o food service e muito varejista e prestador de serviços teve que se adaptar às pressas ao novo movimento, que só se fortalece.

Tendências do food service

Já que tocamos neste assunto de mídias sociais nas vendas de food service, vamos seguir mostrando as tendências previstas para este mercado.

Mais do isso, vamos aproveitar para dar dicas para você aproveitar essa oportunidade de faturamento no seu negócio.

1. Alimentação saudável

Alimentos saudáveis e frescos, à base de plantas, sem glúten e cada vez industrializados, são uma forte tendência do varejo alimentício. E essa modalidade se estende ao food service. O seu estabelecimento deve prezar por esse novo comportamento do consumidor.

A nossa dica é que você aposte na gastronomia sustentável, oferecendo, ao menos, uma ou duas refeições focadas em ingredientes orgânicos e selecionados.

Uma ideia é também apostar em insumos artesanais. Por exemplo: se você produz sanduíches, ao invés de usar condimentos e molhos industrializados, produza o seu próprio molho ou geleia com a matéria-prima in natura.

Para os temperos e legumes, se houver a possibilidade de plantar uma horta dedicada para o seu food service ou fazer parcerias com produtores de orgânicos, seria uma ótima ideia também!

2. Co-parcerias

Dois grandes entraves para o food service são o desabastecimento de produtos e os problemas com a entrega. São os quesitos que mais deixam o consumidor insatisfeito com o atendimento.

Dessa forma, pense o quanto é chato quando você pede uma refeição do cardápio, mas o estabelecimento informa que não pode prepará-la porque falta algum ingrediente. Ou quando a entrega demora muito e bem naquela hora que você está faminto. Muito chato, né?

É assim que o seu consumidor também se sente quando passa pela mesma situação. Por isso, a dica é poder fazer co-parcerias com prestadores de serviços e fornecedores confiáveis.

Pessoas que te informem previamente sobre a eventual falta de insumos. Ou que conseguem contornar a situação quando algo der errado, para que o problema não chegue ao consumidor.

Dessa forma, você consegue fazer compras antecipadas para poder repor o que estiver faltando ou recorrer a um plano B. Aposte nas boas relações com os seus parceiros!

3. Automatização

Muito empreendedor que entra de cara no negócio de food service, sem um planejamento prévio, acaba se frustrando. Isso porque ao se deslumbrar com o sucesso de vendas no primeiro momento, ele esquece do básico: ter um bom atendimento para fidelizar o cliente.

A automatização do atendimento é outra forte tendência no ramo para ajudar nessa gestão do negócio. Otimizar o atendimento, contando com boas tecnologias, é fundamental para aumentar as vendas.

Por isso, aposte no uso de aplicativos e dispositivos eletrônicos para fazer o registro dos pedidos. Além disso, acaba facilitando a vida dos seus atendentes ou do garçom. Desde a pandemia da Covid-19, os cardápios eletrônicos passaram a ser um sucesso nos restaurantes.

No caso de atendimentos online, reforçamos: use e abuse das redes sociais da loja para prestar uma boa assistência ao cliente que prefere receber a comida no conforto de casa. Não se esqueça de incluir o WhatsApp na sua estratégia.

4. Combos

Quem opta pela refeição fora do lar ou até mesmo por delivery ou take away – quando o cliente faz o pedido em casa e busca no balcão do estabelecimento – nem sempre vai focar no prato principal.

Muitas vezes ele espera que a refeição seja acompanhada por uma bebida ou uma sobremesa. Ou ele espera poder comprar a refeição, de forma acessível, para ele e mais pessoas da casa.

Assim, os combos são ótimos para atender a essa necessidade. De acordo com a Delivery Much, 89% das empresas de alimentos acreditam que os combos ajudam a vender mais. Os empreendimentos que oferecem o produto ganham, em média, 30% a mais de faturamento.

Crie algumas opções de combo, com preços promocionais, para atrair mais clientes para o seu food service.

5. Pagamento sem contato

Seja pela praticidade ou pela segurança, o food service ganha cada dia mais adeptos e precisa defender essa filosofia da “praticidade com qualidade, segurança e prevenção” em todo o processo de venda.

Pensando nisso, as formas de pagamento também evidenciam o bom atendimento para deixar o cliente satisfeito. O pagamento sem contato é a oportunidade de garantir isso.

Ofereça a opção de o cliente pagar por transferência eletrônica e prefira máquinas de cartão já com a tecnologia contactless, por aproximação. Aproveite para deixar o álcool gel sempre à disposição dele quando for usar o cartão ou pagar em dinheiro mesmo.

Fica a dica para que o próprio entregador disponibilize um higienizador de mãos em spray para o cliente fazer a devida prevenção antes de pegar a refeição.

Pronto, agora você já sabe o que é food service, as tendências do setor e como se preparar para esse mercado. Gostou das nossas dicas? Continue com a gente que toda semana trazemos artigos fresquinhos por aqui.

Aproveite para ler sobre nossas dicas de como utilizar ações de marketing e vendas em períodos sazonais. Ah, você pode baixar o Calendário do Varejo 2022, gratuito e exclusivo para o segmento.
Até a próxima!