Mesmo em tempos de era digital, o consumidor nunca vai abrir mão da experimentação no momento da compra. Ele quer sentir o produto, tocar, ver, provar e testar de todas as formas que tiver direito para não se arrepender. Por outro lado, o varejo pode se beneficiar dessas condições para vender mais investindo em marketing sensorial.

O marketing sensorial envolve a criação ou geração de valor ou vínculos das marcas com seus clientes por meio dos cinco sentidos. A estratégia de venda volta a se tornar ainda mais importante com a flexibilização das medidas contra a Covid-19.

Os consumidores estão voltando a entrar nas lojas com mais frequência. Essa é uma grande oportunidade para reconquistar a atenção (e o coração) do público a partir dos estímulos sensoriais.

Para isso, é preciso conhecer bem o seu público para construir uma estratégia assertiva para cada nicho e assim vender mais. A nossa conversa de hoje é sobre o marketing sensorial: o que é, como aplicar e quais as melhores estratégias disponíveis.

Vem comigo!

Marketing sensorial: O que é e como funciona?

O marketing sensorial permite que você use a criatividade e a personalização para proporcionar aos clientes uma experiência única na loja. E por que se preocupar com isso?

De acordo com uma pesquisa feita pela Hibou, 77% dos consumidores desejam obter uma boa experiência de compra. Quanto à escolha dos produtos, 90% estão atentos à facilidade de uso do produto.

Em outro estudo, a consultoria Accenture identificou o quanto uma experiência ruim com o produto ou marca pode influenciar na relação de consumo.

O estudo foi realizado com mais de 20 mil consumidores em 19 países, incluindo o Brasil. Ele aponta que 47% dos consumidores que se frustraram com uma experiência de compra evitariam voltar a comprar do mesmo varejista.

Além disso, a maior parte desse grupo (62%) respondeu que estaria disposta a pagar mais pelo produto para garantir uma experiência melhor na loja.

O marketing sensorial tem o poder de usar os estímulos sensoriais a favor do consumidor, despertando o desejo de compra de um ou vários produtos.

Vamos a um exemplo prático: você passa por uma loja de cama, mesa e banho e sente aquele aroma maravilhoso do ambiente. Mesmo que você não tenha a intenção de entrar, você olha para dentro do estabelecimento ou observa a vitrine.

Além disso, vai sempre se lembrar da loja por conta daquele cheiro. É o tipo de estabelecimento que recorre ao olfato para atrair a atenção dos clientes.

O marketing sensorial ainda pode ser estimulado por imagens, sons, sabores e texturas. Vai de cada negócio e da criatividade do lojista!

Entenda os 5 sentidos

A visão, a audição, o olfato, o paladar e o tato são responsáveis por auxiliar nas percepções de ambiente e sociedade no dia a dia. Agora você vai compreender o impacto de cada um deles na rotina do varejo.

Visão

A partir dos olhos, a visão é a capacidade de enxergar tudo à nossa volta. No marketing sensorial, ela pode ser trabalhada na criação de uma logomarca e layout da loja bem atrativos.

A identidade visual diz muito sobre a loja e de que forma ela vai ser posicionada perante o público consumidor. O cliente se sentirá atraído pelas cores, formas e até a fonte usada para destacar determinados produtos ou a própria fachada da loja.

Audição

Esse sentido está relacionado à captação das ondas sonoras do ambiente e é um dos estímulos sensoriais mais utilizados pelo varejo.

Jingles e músicas características de uma marca, por exemplo, acabam associando o cliente a ela sempre que ouvir o som. Isso é marketing sensorial!

Olfato

A partir do olfato, a pessoa consegue captar facilmente o odor de partículas químicas no ar. Também é um dos estímulos mais usados no marketing sensorial. É como o exemplo que demos sobre a loja de artigos para a casa.

A estratégia também costuma ser muito utilizada por estabelecimentos do segmento de alimentação e supermercados.

Paladar

Perceber os sabores. Essa é a função do paladar a partir das papilas gustativas e em conjunto ao sentido do olfato. O famoso “cafezinho” oferecido em determinados estabelecimentos é um bom exemplo do paladar como estratégia do marketing sensorial.

Muitos empreendedores utilizam desse fornecimento do produto de forma gratuita enquanto os clientes aguardam. Assim, aquele atendimento se torna uma experiência ainda mais satisfatória ao cliente.

Tato

O quinto e último sentido do corpo humano, o tato, é o que permite sentir texturas, dor, temperatura e pressão. Ele está presente na pele, mucosas e até algumas vísceras do nosso organismo.

Ocorre muito com o varejo de tecidos, mas qualquer loja de produtos físicos pode se utilizar dessa estratégia para fazer com que o cliente toque no produto e sinta o prazer em levá-lo para a casa.

5 dicas para vender com o marketing sensorial

Agora vamos te contar algumas dicas para você alcançar esses benefícios que citamos utilizando o marketing sensorial. Separamos cinco dicas que vão te ajudar, mas lembre-se que conhecer o seu consumidor é o primeiro passo antes de se aproveitar dos estímulos sensoriais.

1. Usufrua de músicas e sons

Monte uma playlist que seja a cara do seu público para tornar o ambiente mais agradável. Os sons são capazes de despertar a nossa memória afetiva e nos proporcionam boas experiências.

Se for investir em propaganda, crie uma música com letra acessível e melodia marcante para a sua marca e a dissemine em todos os canais da loja, principalmente nas redes sociais.

2. Escolha um aroma

O cheiro pode abrir o apetite, atrair alguém para dentro de um ambiente e pode remeter a uma lembrança. A associação do aroma com algo é quase que instantânea. Por isso, escolha um cheiro para aromatizar a sua loja.

Se você é do ramo alimentar, recorra a algum aroma que desperte o paladar do seu cliente. Paladar e olfato são interligados, lembra?

3. Faça degustação

Por falar em paladar e varejo alimentar, despertar esse sentido é crucial para o negócio. O marketing sensorial nos ensina que gosto é uma das principais experiências para o consumidor.

Crie espaços sazonais de degustação na loja para estimular a venda de ingredientes específicos. Além disso, ofereça o famoso cafezinho durante as compras do cliente.

E se for comercializar um item novo, faça degustação para apresentar o produto. Ajuste alguns brindes com o fornecedor para fazer essa ação!

4. poste na identidade visual nas redes sociais

Trabalhe com cores e imagens nos canais digitais da loja. De preferência, utilize a mesma paleta e a mesma identidade visual da loja física. Assim o consumidor vai fixar a sua marca na memória.

Use recursos que sejam chamativos para fazer com que o consumidor, ao ver o seu link patrocinado ou o post da loja no feed dele, tenha interesse em parar para ler ou assistir ao conteúdo que você divulgou.

5. Promova experiência física

O tato é importante para que o cliente “teste” o produto antes de comprar. Quando ele sente o produto e gosta do que está experimentando, as chances de levá-lo são maiores.

Possibilite esse teste na própria loja oferecendo a devida estrutura. Por exemplo: um relógio a pilhas pode ter um modelo no mostruário com pilhas, um ventilador precisa de uma tomada próxima ao local para ser testado e assim por diante.

Principais benefícios do marketing sensorial

Os cinco sentidos do corpo humano podem contribuir para cativar o cliente, garantir a venda e promover a melhor experiência possível para ele.

Olfato, audição, paladar, visão e o tato utilizados como estratégias de venda colocam o varejista em evidência e são capazes de transformar qualquer negócio.

Por meio do marketing sensorial, o varejista consegue despertar no cliente o impulso ou o desejo de adquirir o produto causando bem-estar e o sentimento de necessidade de compra. As vantagens a partir de então são muitas.

Os principais benefícios do marketing sensorial são:

  • Estimular a compra por impulso;
  • Aumentar o tíquete médio da loja;
  • Fidelizar o cliente;
  • Melhorar a experiência do consumidor;
  • Explorar a venda de produtos de forma criativa;
  • Agregar valor ao negócio desenvolvendo uma identidade visual exclusiva para sua loja.

Marketing sensorial com cautela!

Você não precisa recorrer aos cinco sentidos simultaneamente para tentar agradar o consumidor, porque o “tiro pode sair pela culatra”. Seja cauteloso e busque compreender o seu cliente antes de escolher qual a estratégia de marketing sensorial utilizar.

O marketing sensorial também é conhecido como marketing de experiência. E se a experiência é o foco, evite exageros ou situações previsíveis demais.

Com conhecimento e dedicação, você com certeza vai saber aproveitar os cinco sentidos para se comunicar melhor com os seus consumidores e lucrar mais.

Já que estamos falando de proporcionar uma boa experiência, que tal ler nosso guia de atendimento ao cliente?!

Boas vendas e até a próxima!