Home Dicas Colaboradores Microgerenciamento da equipe é bom ou ruim?
ilustração de pessoa de terno segurando lente de aumento sobre papel

Microgerenciamento da equipe é bom ou ruim?

0
603

O microgerenciamento é a forma de gestão que analisa minuciosamente cada atividade feita pelos colaboradores. Isso é, ao contrário do gestor distante, que só acompanha os processos e resultados, esse tipo de gestor opta por ficar próximo de sua equipe, ver de perto todas as tarefas executadas e checar a qualidade do trabalho. É um gestor detalhista e perfeccionista.

 

Existem algumas características típicas do microgerenciamento. São elas a necessidade de avisar o gestor de cada atividade e cada gasto, por menor que seja (e a versão virtual de copiá-lo em todos os emails) e exigir aprovação de todas as decisões, mesmo que rotineiras.

Isso tem vantagens e desvantagens, tanto para o negócio como um todo quanto para os colaboradores e os gestores. É importante que a gestão seja feita com equilíbrio e atinja as metas sem aumentar o estresse nem pesar o clima de trabalho.

ilustração de pessoa de terno segurando lente de aumento sobre papel

Quais os impactos dessa forma de gestão?

As razões para que uma empresa tenha essa forma de gestão (e nem sempre o gestor percebe que está fazendo isso) são várias. Pode ser uma empresa muito desorganizada, que precise de uma pessoa no comando que saiba de todos os detalhes e acompanha de perto as tarefas.

Uma das situações em que ela se destaca é que nenhum detalhe passa batido. Outra razão pode ser a produtividade, já que quando o gestor de comporta dessa forma, a empresa tende a ter um fluxo de trabalho mais rápido.

Em algumas situações, ou até em épocas e projetos especiais e mais estressantes, essa atenção redobrada é necessárias. Mas o problema começa a surgir quando esse tipo de atitude parece ser necessária o tempo todo.

equipe unida

Isso porque o microgerenciamento também traz uma cartela de desvantagens. A primeira delas é que limita a pró-atividade e a criatividade de qualquer funcionário, mesmo os de alto escalão. Isso é: ninguém vai se sentir à vontade para propor novas ideias se não existe flexibilidade para isso.

A empresa também pode sair prejudicada nessa equação. Como o gestor está focado em cada pequeno detalhe, acaba perdendo o foco do negócio como um todo. Se a atenção estiver em cada tarefa, o planejamento de negócio e implantação de novas ideias fica de lado.

Como isso impacta o gestor?

Não é só a empresa que pode sair perdendo. O próprio dono também tem consequências nesse sistema. O microgerenciamento leva a um excesso de trabalho e não é sustentável.

Conforme o tamanho aumenta e as demandas também, é impossível manter o olhar em tudo. Em uma loja, por exemplo, não é possível que uma única pessoa tenha tempo e habilidade de monitorar cada atividade feita. Em uma mercearia, o dono não consegue acompanhar todos os pedidos, todas as vendas e todas as contas. Ou seja, não só o foco é perdido, mas também a rotina saudável de trabalho.

grupo de pessoas em reunião em torno de mesa fazendo anotações

Como evitar o microgerenciamento?

O primeiro passo é delegar tarefas. Você deve ter funcionários de confiança, qualificados e experientes em seu negócio. Formar uma equipe de gestores que ajuda a manter as tarefas rotineiras funcionando sem que uma única pessoa precise observar tudo. Além de segmentar as obrigações, ainda especializa cada gestão, o que torna as demandas mais manejáveis.

É importante sempre ter bons canais de comunicação a abertura para comunicação de problemas dentro da empresa. Assim, o gestor pode focar em tarefas maiores e questões de longo prazo sem abrir mão de saber o mais importante de cada setor e sem cair nas armadilhas de microgerenciamento.

Colaboradores de confiança

Existem estratégias interessantes para melhorar o fluxo de sua empresa sem que você tenha que recorrer ao microgerenciamento que podem ajudar e muito. Dê espaço para que os colaboradores possam ter proatividade e encontrar as melhores formas de exercer suas tarefas, deixe que eles lhe apresentem as dificuldades e ofereça ajuda quando necessário.

Garantir que hajam reuniões entre colaboradores sem sua presença ou até feedbacks anônimos sobre o ambiente de trabalho podem ser formas menos controladoras de organizar o espaço e implementar novas ideias. Ter transparência sobre as decisões de gestão também ajuda a motivar os colaboradores.

Assim, todos podem trabalhar juntos para manter a empresa funcionando em sua melhor forma.

Visite o Linkedin do Martins.com.br para mais dicas para gestores!

DEIXE UMA RESPOSTA:

Please enter your comment!
Por favor, insira seu nome