A contenção de gastos, o menor tíquete de compras e os altos preços dos brinquedos são combinações que devem fazer com que o Dia da Criança seja mais morno nas vendas. No entanto, algumas instituições voltadas para o varejo, como a Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH), têm projeções positivas para o período, considerando a atual economia do país. A previsão de vendas para a data na capital mineira é de 0,37% em relação a 2014, ou seja, uma injeção de R$ 2,25 bilhões no comércio. Além disso, a previsão é que o consumidor invista R$ 50 na compra de lembrancinhas.

Considerada o termômetro antes do Natal, a venda no período definirá se será necessário repor estoques ou se os varejistas vão trabalhar com as sobras. Para especialistas, a previsão surpreendeu, pois o comércio tem apresentado tendência de queda nas vendas, inclusive nas datas comemorativas, como foram os dias das Mães e dos Namorados.

Nesse cenário, pedi ações mais criativas por parte dos lojistas, assim as ações promocionais podem ser medidas assertivas para atrair o consumidor, que deve optar por brinquedos mais baratos, logo, quem tiver bons preços e promover liquidações pode ser que tenha uma venda melhor.

A dica é promover momentos que agregam valor, como espaço da criança, onde ela pode brincar com os brinquedos, degustando aquele que deseja. Ambientes com temas atuais, mimos como balas, doces e pipoca. A brincadeira é ser criativo!

 

DEIXE UMA RESPOSTA:

Please enter your comment!
Por favor, insira seu nome

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.