Home Dicas Colaboradores Ponto comercial: como avaliar, alugar e comprar?
Duas mulheres e um homem olhando para o notebook

Ponto comercial: como avaliar, alugar e comprar?

0
797

Todo início de ano vem com uma dose de motivação extra para tirar algumas metas do papel. Na vida de quem é empreendedor, muitas vezes isso significa aproveitar para fazer uma mudança no ponto comercial – buscar novos ares e novas vendas pela região.

 

Essas atividades exigem uma boa preparação prévia, já que a escolha do ponto comercial determina vários aspectos fundamentais do futuro da empresa. A localização, por exemplo, influencia o perfil do público, os produtos que você oferece e até os seus preços.

Diz pra gente: está em busca de dicas para alugar ou comprar um ponto comercial? Acabou de achar! Confira nosso guia e prepare-se para começar 2020 com um negócio novo.

Fechadura de porta de madeira com chave pendurada

Como avaliar um ponto comercial?

Além dos detalhes básicos que devem ser observados antes de alugar ou comprar qualquer imóvel, o local precisa atender ao mesmo tempo as demandas da empresa, dos funcionários e dos clientes.

A infraestrutura é um dos aspectos chave de qualquer ponto comercial e deve ser o foco da sua atenção na hora de avaliar um imóvel para aluguel.

Portanto, antes de alugar é preciso saber que tipos de recursos você vai precisar no imóvel. Bares e restaurantes, por exemplo, precisam da estrutura de uma cozinha industrial, banheiros maiores e um salão bem grande.

Já uma mercearia precisa levar em consideração o espaço necessário para o estoque, assim como a farmácia, que precisa comportar produtos sensíveis a luz, calor e umidade.

O que observar na vistoria?

De modo geral, os guias para vistoria imobiliária possuem tópicos dedicados a pintura, trincos e fechaduras, pisos e azulejos, hidráulica, elétrica, vidraças e telhado. Mas isso é básico: as partes elétrica e hidráulica devem receber atenção especial, já que são campeãs em problemas e costumam representar os custos mais altos em caso de reforma.

Na parte elétrica, verifique se o quadro de energia dá conta de todos os seus equipamentos e confira a localização dos pontos de tomada, já que eles podem influenciar na futura disposição dos móveis.

Quanto à parte hidráulica, fique atento em relação a vazamentos, infiltrações, acúmulo de umidade e mofo.

Dificilmente um ponto comercial é inaugurado sem algumas reformas. Os reparos estruturais podem ser negociados com o proprietário e o acordo mais comum na hora de fechar o contrato é abater os gastos com a obra no valor do aluguel.

Não se esqueça de documentar tudo com fotos na vistoria inicial e, se possível, conte com a ajuda de um perito para fazer os laudos técnicos.

Comprar ou alugar o ponto comercial?

Maqueta com casa, calculadora, dinheiro, gráficos e planta arquitetônica

Essa é uma dúvida comum na hora de escolher um imóvel para o ponto de vendas, principalmente quando há capital para se investir em um espaço próprio. A escolha final vai depender de uma análise cuidadosa do perfil do negócio e dos seus planos para o futuro.

A opção de compra é mais vantajosa quando o ponto comercial apresenta potencial de valorização. Observe a região e veja se é uma área em crescimento, com novos negócios surgindo e melhorias de infraestrutura sendo implementadas.

A infraestrutura do bairro é tão importante quanto a do ponto comercial, já que ao adquirir um imóvel você estará abrindo mão de uma das grandes vantagens do aluguel, que é a flexibilidade de poder simplesmente se mudar com facilidade caso a região não esteja favorecendo o negócio.

Portanto, fique atento à segurança, iluminação, oferta de transporte público e estrutura para o escoamento de chuva.

Na hora da vistoria, confira se o espaço está em boas condições físicas e faça uma estimativa dos gastos com a reforma, sem deixar lado melhorias que precisarão ser feitas a médio e longo prazo. Ao se tornar proprietário do ponto comercial, essa responsabilidade passa a ser exclusivamente sua e os custos precisam ser levados em conta no orçamento.

“Passa-se o ponto”: como isso funciona?

Duas mulheres e um homem olhando para o notebook

Quem deseja investir em um novo negócio mas não sabe por onde começar pode se interessar pela ideia de assumir um ponto comercial já existente.

A decisão de passar o ponto pode ser motivada por uma série de motivos, e é preciso muita pesquisa e cautela para não adquirir um cavalo de Tróia – ou seja, uma empresa que traz consigo uma série de dívidas e problemas burocráticos.

Para avaliar o ponto comercial, faça um levantamento aprofundado do histórico de faturamento, a situação dos impostos, e verifique os livros de registros fiscais e contábeis para diagnosticar a saúde financeira do negócio. O estabelecimento pode não estar em seu melhor momento, mas é preciso verificar se existe possibilidade de resgate e quanto isso vai custar.

Também é importante negociar com o antigo proprietário o que está incluso no ponto comercial: equipamentos, mobiliário, estoque, marca registrada, know-how interno, bem como o estado da infraestrutura.

Os bens precisam constar no contrato e as reformas necessárias podem ser usadas na hora da negociação, garantindo um preço mais vantajoso caso haja muitos problemas para resolver.

Falando em contrato, o documento para a passagem do ponto comercial é um contrato de compra e venda chamado trespasse registrado na junta comercial local. Devido à complexidade da transação, o ideal é contratar um contador e um advogado para auxiliarem no processo.

Acompanhe o LinkedIn do Martins.com.br e não perca nossos conteúdos!

DEIXE UMA RESPOSTA:

Please enter your comment!
Por favor, insira seu nome

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.