Home Destaque Impactos da pandemia em produtos derivados do leite

Impactos da pandemia em produtos derivados do leite

0
249

Os produtos derivados do leite passaram a ter uma representatividade ainda maior para o varejo durante a pandemia. O consumo de alimentos da categoria cresceu bastante no Brasil e dá sinais de que não faz parte dos itens afetados pela crise.

De acordo com uma pesquisa feita pela Nielsen, a alta na comercialização de produtos lácteos foi de 5,3% no primeiro semestre deste ano em comparação com o mesmo período do ano passado. Ou seja, uma ótima oportunidade para explorar o setor na sua loja.

Os queijos lideraram as vendas no período, sendo consumidos por 97% dos entrevistados. A Nielsen aponta ainda que iogurte e manteiga também se destacam no consumo, assim como o creme de leite, leite condensado, leite fermentado, requeijão e o próprio leite tipo Longa Vida. Essas subcategorias ficam entre as principais nas vendas dos supermercados.

Apesar das incertezas do mercado nos primeiros meses da pandemia, a realidade encontrada ao longo dos dias foi outra completamente diferente. O aumento das vendas no setor do varejo alimentar e autosserviço são alguns dos fatores que podem ter puxado a alta demanda.

Diante desse cenário super favorável, mesmo com a alta nos preços, você deve seguir apostando nesse mix. Segue comigo que você vai saber mais sobre os itens destaques dessa categoria para acertar em cheio nas vendas!

Produtos derivados do leite

Vou te dar mais uma boa notícia sobre o consumo de produtos derivados do leite: ainda de acordo com pesquisa da Nielsen, 83% dos consumidores brasileiros responderam ter encontrado os derivados do leite com facilidade nas lojas.

Sabe o que isso significa? Ponto para você que tem trabalhado muito bem os itens no seu varejo, sem deixar faltar esse mix para o cliente! Além do estoque abastecido, colocar os produtos devidamente organizados e expostos nas prateleiras ou em ilhas para destacar nos corredores e locais estratégicos da loja são ações certeiras para estimular a venda desses produtos.

Tudo bem que o leite é um item que está sempre no carrinho de compras, mas você sabe que dificilmente o cliente vai passar em frente os derivados e não levar nem que seja uma caixinha de leite condensado. É quase uma compra por impulso!

Acompanhe agora o resultado da pesquisa sobre os hábitos de consumo mantidos quando se fala em laticínios – isso durante a pandemia:

Esses dados mostram, mais uma vez, que você precisa continuar apostando nesse mix, já que os consumidores seguem comprando esses itens mesmo em momento de crise.

Leite condensado em alta

Por falar em leite condensado, o Centro de Inteligência do Leite da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) identificou que essa categoria, sozinha, foi responsável por um crescimento de 14% no consumo nos lares brasileiros após o início da pandemia.

Detentora da marca Leite Moça, uma das mais tradicionais e conhecidas do país, a Nestlé afirma que o Brasil é um dos principais mercados de leite condensado em todo o mundo, com presença em 90% dos domicílios.

Ainda de acordo com a Nestlé, foi o leite condensado que definiu a cultura doceira no país estando presente em 70% das receitas de doces.

Considerando o boom dos produtos lácteos, outra empresa brasileira que está na preferência do consumidor é a Italac. Ela é a terceira marca mais comprada pelos brasileiros e a primeira no topo de venda de lácteos. Os dados são do ranking Kantar Brand Footprint.

A pesquisa destacou ainda a representatividade das marcas nacionais, responsáveis por 65,9% dos produtos colocados no carrinho de compras. Sendo, a própria Italac o destaque entre as marcas desse porte.

Além de ocupar a liderança entre as indústrias de lácteos do Brasil, a Italac ficou em terceiro lugar na categoria de bens de consumo mais escolhida pelos brasileiros em 2019. A marca ficou atrás apenas da Coca-Cola e da Ypê, de produtos de limpeza.

E nem estou citando essas marcas como merchan viu? É para te mostrar que você precisa atender as preferências dos clientes e abastecer seu estoque com o que ele quer levar para casa!

Embalagens: um cuidado necessário

O que antes era necessário entre as rotinas de limpeza na loja, agora é obrigatório. Os cuidados com as embalagens dos produtos vendidos devem ser redobrados em razão da pandemia. Alerta para a categoria de alimentos, principalmente dos produtos derivados de leite.

Por serem do gênero alimentício, mesmo que alguns tenham prazo de validade maior, portanto não perecíveis, é preciso ter atenção redobrada na hora de expor esses itens. Confira algumas dicas essenciais:

  1. Mantenha o hábito de higienizar bem as prateleiras antes de expor o produto;
  2. Mesmo depois da exposição, crie rotina de sempre fazer a limpeza dos itens;
  3. Atente-se para eventuais danos na embalagem e retire o produto danificado da presença dos outros;
  4. Opte por locais arejados e com boa iluminação na hora da estocagem da categoria.

E tenho mais uma dica extra para você: ao trabalhar o segmento de produtos lácteos, aproveite a dimensão das embalagens de cada item. A maioria costuma ser fabricada em invólucros que se encaixam ou se alinham perfeitamente uns nos outros.

Pense, por exemplo, que você tem uma pilha de leite condensado em latas, que tal fazer uma pirâmide e aproveitar para engatar uma ação promocional em uma zona quente da loja? O mesmo vale com caixinhas de creme de leite e vários outros itens do segmento.

Além de chamar a atenção do consumidor para a categoria, a sua ação será automaticamente revertida em vendas dos produtos. Busque ainda associar itens correlacionados para estimular a venda cruzada. Olha só alguns exemplos:

Aproveite este cenário favorável para as vendas de produtos derivados do leite e incremente o seu mix.

E vou sugerir outra leitura pra você: como fazer uma boa gestão de categorias no varejo.

Sucesso e até a próxima!