Mais vale prevenir do que remediar. O ditado é antigo, mas a verdade que ele encerra é sempre atual. Isso vale para consumidores comerciais e para residenciais. Você, caro lojista, já parou para   pensar o quanto investiu em equipamentos elétricos e eletrônicos para que o seu ponto de venda pudesse operar de forma contínua, com cada um exercendo suas funções dentro da normalidade? E você oferece esse mix para os seus clientes na variedade e nas condições ideais.?

Computadores, geladeiras, climatização, aparelhos de TV, checkouts, som ambiente, resfriadores, forno, lâmpadas, entre outros aparelhos, formam um parque estrutural na loja e a sua manutenção correta evita prejuízos. E um aspecto importante nesse segmento é investir na proteção da rede elétrica. No Brasil a variação da corrente de energia é um dos maiores causadores de problemas nos equipamentos.

A energia recebida em casas, indústria e comércios é gerada por usinas, em sua grande maioria hidrelétricas, sendo complementadas por nucleares, térmicas e outras fontesas menos expressivas, como as eólicas e as de biomassa. O Brasil conta hoje com cerca de 90 mil quilômetros de linhas de transmissão. Isso faz com que a energia chegue ao destino final de consumo com “impurezas”.

Ao ser distribuída para as residências, fábricas e comércio, a elevada demanda de carga e a forma que ela é consumida acaba por gerar harmônicos múltiplos da freqüência fundamental (60Hz no Brasil). Isso causa uma deformação na onda original que compromete o desempenho dos equipamentos. Quando essa energia “impura”, sem proteção adequada chega, percebe-se então ruídos, chiados e até mesmo interferências na imagem exibida em televisores.

Engana-se quem pensa que o prejuízo maior que esse tipo de variação pode causar se restringe a queima dos equipamentos. Mesmo as mais leves variações de tensãovão minando os circuitos internos dos produtos eletrônicos, diminuindo sensivelmente a vida útil deles. Além dos problemas imediatos, há uma redução na vída últil dos itens eletrônicos e elétricos sem que sejam notados.

A boa notícia: é possível se precaver desses problemas. O mercado disponibiliza uma boa variedade de produtos para proteger os equipamentos de surtos e sobrecargas ou filtrar as impurezas da rede elétrica. Esses acessórios estão distribuídos em categorias, cada uma específica para desempenhar um tipo de função. Conhecê-las e entender o seu funcionamento é ideal para não errar na hora da escolha.

Filtros de linha: A mais simples das soluções, se popularizou no segmento de informática. No entanto, vale ressaltar que estamos falando de filtros específicos para equipamentos de áudio e vídeo, com um varistor capaz de oferecer proteção contra pequenos surtos de energia, direcionando essa anomalia da rede para o aterramento. Observe a capacidade de tomadas que o filtro possui e a potência admissível do equipamento. Normalmente, potência de 1.000W (1KVA) são suficientes para receber os itens de um sistema básico de home theater. Mas fica um alerta: não adianta proteger todos os equipamentos e deixar o cabo do telefone e a antena RF de fora. Esse é o principal erro de muitos sistemas e onde ocorre o “furo” da bolha de proteção.

Transformador de voltagem: Não é um dispositivo de proteção e por isso não deve ser utilizado com essa finalidade. Ele existe basicamente para reduzir a tensão da rede de 220V para 110V e por isso deve ser usado com algum outro acessório que filtre as impurezas.

Módulo de isolamento: Isola o sistema eletronicamente da rede. Para fazer esse isolamento ele não tem um referencial de neutro, assim cria-se um terra de referência que balanceia as duas fases e cancela os ruídos comuns, também chamados de brancos ou de baixa freqüência. Pode ser uma boa opção para aumentar a proteção dos equipamentos em residências sem aterramento. Essa solução também pode auxiliar na eliminação de ruídos em locais com tensão de 220V bifásico (110+110V).

Estabilizadores de voltagem: Esses aparelhos identificam flutuações lentas de tensão. Atuam pegando uma faixa grande de variação e diminuem para entregar uma flutuação estreita, próxima da ideal, na sua saída. Eles não vêem surtos rápidos de tensão, papel que cabe aos condicionadores, mas seguem a norma da ABNT atuando em ciclos de 16 milisegundos (o que para energia elétrica é muito tempo), característica que permite a esses equipamentos corrigirem variações constantes de tensão, reduzindo ou elevando esses números para valores ideais.

Nessa categoria encontra-se um produto feito sob medida para sistemas de home theater. Para limpar as interferências eletromagnéticas e de radiofreqüência é colocado um circuito eletrônico na última etapa do condicionador. Esse circuito não tem robustez para absorver os surtos, no entanto é eficiente para capturar o residual que passa pelo primeiro estágio de proteção, que é efetivamente quem pega o grosso das variações bruscas de tensão.

Independentemente do uso, seja residencial, comercial ou industrial, proteger os equipamentos é evitar interrupções indesejáveis que podem gerar prejuízos materiais e danos à imagem do negócio. Atente-se também para o gerenciamento da categoria para que possa vender mais e melhor. No Martins.com.br você encontra diversos modelos de nobreaks, estabilizadores e filtros de linha para proteger os seus aparelhos e garantir uma vida útil bem maior a eles. Confira todo o mix e as condições super vantajosas.

DEIXE UMA RESPOSTA:

Please enter your comment!
Por favor, insira seu nome

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.