Home Dicas Covid-19 Conheça as recomendações e regras para a reabertura do comércio

Conheça as recomendações e regras para a reabertura do comércio

0
589

Enquanto não houver vacina contra a Covid-19, a reabertura do comércio fica comprometida – a gente nunca sabe como vai ser amanhã. Por isso, cabe a todos seguir as recomendações das autoridades de saúde para que a transmissão da doença seja contida e o varejo possa voltar às suas atividades sem sustos.

 

Cumprir as normas da OMS, Ministério da Saúde e Anvisa pode significar ter algumas despesas a mais – especialmente se sua loja ficou fechada durante a quarentena. Mas não veja essas ações simplesmente como gastos, e sim como um investimento rápido, o básico que você precisa pra abrir e vender sem medo.

Listei a seguir algumas das principais normas da OMS, da Anvisa e do Ministério da Saúde para a reabertura do comércio. Fique de olho e prepare-se para abrir as portas!

Mulher usando máscara e luvas parada entre duas prateleiras de produtos empurrando carrinhos de compras.

Reabertura do comércio: recomendações das autoridades de saúde

A pandemia colocou a população numa verdadeira guerra de informações sobre mitos e verdades relacionados à Covid-19. Por se tratar de uma doença nova, ainda sem tratamento ou vacina, a melhor alternativa para os primeiros meses foi mesmo manter as portas fechadas.

Mas o conhecimento sobre o novo coronavírus já avançou muito, principalmente em relação às melhores formas de conter a transmissão. Autoridades como a Organização Mundial de Saúde (OMS), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e o Ministério da Saúde tem atualizado a população sobre as medidas de prevenção que devem servir de referência para a reabertura do comércio.

Esses órgãos também têm cumprido o papel de fiscalização dos estabelecimentos, aplicando multas e até mesmo revogando licenças de quem apresentar irregularidades. Não vai correr esse risco, né? Então fique de olho nas principais normas.

Uso de máscaras faciais

O novo coronavírus é transmitido por gotículas que circulam pelo ar quando pessoas infectadas conversam, tossem ou espirram. As máscaras funcionam como uma barreira física de proteção, diminuindo assim as chances de transmissão.

As organizações de saúde são unânimes em relação à importância desses equipamentos, que se tornaram obrigatórios em boa parte dos municípios brasileiros. Quando falamos de reabertura do comércio, não tem escapatória: todos os colaboradores devem usar máscaras (ou até face-shields) e, de preferência, quem entrar na loja também.

Homem parado em frente a prateleira de produtos de farmácia segurando embalagem grande de álcool gel.

E não basta só fornecer as máscaras para sua equipe, viu? É importante também garantir que elas sejam trocadas periodicamente e que todos sigam os procedimentos corretos na hora de tirar e colocar as mesmas, sempre higienizando as mãos.

A Anvisa preparou um documento com todas as informações e normas relativas ao uso de máscaras, clique aqui e saiba mais.

Higienização de produtos e superfícies

Da mesma forma que as máscaras protegem do contato direto com o vírus, a higienização e desinfecção dos estabelecimentos é outro passo importante para a segurança de todos no momento de reabertura do comércio.

De acordo com a OMS, a limpeza deve ser feita com água e sabão, álcool em gel ou álcool 70%. A Anvisa, no entanto, publicou recentemente uma lista de outros “produtos saneantes” que possuem eficácia comprovada no combate ao novo coronavírus. Entre eles, estão:

  • Hipoclorito de sódio (água sanitária) a 0,1% (concentração recomendada pela OMS);
  • Peróxido de hidrogênio (água oxigenada) 0,5%;
  • Alvejantes contendo hipoclorito (de sódio ou de cálcio) a 0,1%;
  • Dentre outros.

De forma geral, a higienização deve ser feita em todas as superfícies e objetos que entrem em contato com as pessoas, como balcões, prateleiras, mesas e cadeiras, além dos produtos expostos. A Anvisa orienta também que a equipe responsável pela desinfecção deve estar devidamente paramentada com equipamentos de proteção individual como máscaras, luvas, botinas e aventais.

Distanciamento social

Se as aglomerações são uma das maiores inimigas no combate ao novo coronavírus, elas devem ser evitadas mesmo com a reabertura do comércio. Comércio cheio já não é mais sinônimo de sucesso.

Dentro dos estabelecimentos, a Anvisa recomenda que seja mantida uma distância de pelo menos 1 m entre as pessoas – só que esse valor pode variar de acordo com a determinação do seu estado ou município, por isso fique atento a cada novo decreto.

A melhor forma de facilitar a aplicação dessa medida é com sinalizadores no chão que indiquem a posição que cada pessoa deve ocupar dentro da loja. Esse indicador é essencial principalmente em lugares onde há formação de fila (como caixa e balcão de atendimento) e também nos restaurantes.

Corredor vazio de loja de brinquedos com placas sinalizadoras verdes fixadas no chão.

Por falar nos restaurantes, o cuidado deve ser ainda mais reforçado no setor de alimentação. De acordo com a Anvisa, a lotação deve ficar abaixo da capacidade máxima e o salão deve ser organizado com barreiras, como mesas permanentemente desocupadas para aumentar o distanciamento ou até mesmo barreiras mais robustas, como cabines fechadas.

Para trazer mais conforto e segurança para os clientes, algumas lojas tem trabalhado com atendimento presencial agendado. Dessa forma, fica mais fácil controlar a entrada e saída, e você garante que ninguém precisará ficar esperando do lado de fora.

Atendimento ao cliente

A reabertura do comércio significa o retorno do atendimento presencial aos clientes. Para garantir que esse novo movimento não seja sinônimo também de uma nova onda de contaminação, sua equipe deve ser treinada com antecedência para agir de acordo com as normas das organizações de saúde.

Da mesma forma, deve ser adotado um protocolo interno para garantir que essas regras sejam cumpridas.

Caixa de supermercado usando touca e máscara segurando produto em balcão de caixa em frente cliente mulher usando máscara.

Por exemplo: você pode designar um supervisor para circular pelo local verificando se as máscaras estão sendo usadas corretamente, se os colaboradores estão lavando as mãos antes e depois dos atendimentos, e para garantir que todos troquem as máscaras na hora certa.

Nem preciso falar que é sua responsabilidade garantir todos os produtos necessários para que as normas sejam cumpridas, né? Se você está em busca de um fornecedor para te ajudar e também abastecer o estoque de modo geral, conheça as marcas parceiras do Martins e deixe seu mix pronto para a reabertura do comércio!

Falando nisso, pode parecer muita coisa ter que adaptar tudo assim tão rápido. São novos processos, novas demandas e tudo que você mais quer é abrir o seu comércio e voltar a vender, não é verdade? Calma, nós preparamos um material perfeito pra você!

É o Kit Gratuito para Reabertura do Comércio que foi pensado de acordo com cada segmento para te ajudar na organização interna e na conscientização de clientes e colaboradores. São planilhas de controle de limpeza, controle e gestão da equipe, além de materiais exclusivos para você imprimir e disponibilizar no PDV: cartazes, adesivos de chão, orientações para colaboradores e muito mais. Baixe agora!