A temporada outono-inverno segue a todo vapor e não tem coisa melhor nesse período do que aquele chuveiro elétrico quentinho do banheiro. Abril é um marco para a venda de chuveiros e uma boa oportunidade para aumentar o lucro da sua loja.

Com o clima mais friozinho, a sobrecarga dos chuveiros aumenta e acaba resultando em danos nos equipamentos e acessórios, como fios e resistências. É esse o momento em que os consumidores recorrem ao varejo para fazer a troca ou reparo da peça.

Você está preparado para essa demanda? Então se organize e aproveite o momento para criar uma boa campanha de venda de chuveiro na sua loja e estimular mais ainda as vendas da categoria.

Existem opções para todos os gostos e bolsos, claro. Chuveiros mais econômicos, com maior nível de temperaturas e até os que tocam música. Vai a bel-prazer do cliente e da sua aposta em variedade para contar com um mix completo na loja.

Chuveiros para todos os gostos

Pode-se dizer que o mercado de chuveiros hoje é muito completo e possui uma série de modelos para agradar o consumidor. Chuveiros comuns, estilo ducha ou mais sofisticados estampam as gôndolas e vitrines do varejo.

Mas antes de pensar no investimento que você pretende fazer para vender chuveiros na sua loja, vamos conhecer os principais modelos?

1. Chuveiro comum

São os mais encontrados na maioria dos lares brasileiros. O chuveiro elétrico convencional é de fácil instalação e baixo custo se comparado aos modelos mais sofisticados. Basta usar um cano de chuveiro para instalar e contar com um ponto de energia.

Podem ser encontrados com até quatro temperaturas. Além disso, são aquecidos à resistência elétrica, geralmente também de fácil instalação com encaixe. É recomendado para banheiros que contem com alta pressão de água.

2. Chuveiro eletrônico

Também é um tipo de chuveiro elétrico, porém com mais funcionalidades. É possível fazer a regulagem de temperatura usando uma haste alongada que vem acompanhada do equipamento. Podem ser encontrados para instalação tradicional de parede ou ainda de teto.

Esse sistema é mais prático porque o consumidor não precisa desligar o chuveiro para mudar a temperatura, sem o risco de queimar o chuveiro.

É possível encontrar modelos com sistema de pressão ou sem para o caso de residências onde a pressão de água não é muito favorável.

3. Chuveiro misturador

Esse modelo tem uma válvula que, como o próprio nome diz, possibilita a mistura de água fria e quente conforme nível colocado pelo próprio usuário. É muito comum ser encontrado em redes hoteleiras e resorts, por exemplo.

Uma das principais vantagens desse tipo de chuveiro é a sua eficiência enérgica. Como a regulagem é feita pelo próprio consumidor, é possível chegar a uma temperatura mais amena, sem demandar muito da energia elétrica. Além disso, conta com design mais sofisticado, podendo ser encontrado com acabamento cromado.

Chuveiro sem eletricidade?

É isso mesmo! Os chuveiros sem eletricidade estão em alta e têm sido a principal escolha de empreendimentos imobiliários contemporâneos e com acabamento mais arrojado. Vamos conhecê-los então:

1. Chuveiro a gás

Muito utilizado em regiões rurais, o chuveiro a gás também pode ser uma escolha para os consumidores durante o inverno e em regiões mais frias. Mas só poderá ser instalado se a casa contar com um ponto de gás, central de aquecimento de água e tubulação com revestimento térmico.

O custo pode ser bem maior que o chuveiro elétrico, porém os chuveiros a gás contam com maior vazão de água e podem ser bem mais econômicos que o chuveiro comum, já que não precisa ser ligado na energia.

2. Chuveiro solar

Outro queridinho dos consumidores é o chuveiro solar, por ser ecologicamente correto. Nesse sistema, a água fica armazenada nos chamados boilers e é aquecida pelo calor do sol a partir de placas fotovoltaicas instaladas no telhado do imóvel.

O chuveiro solar é um modelo sustentável e muito mais econômico que os demais. A estimativa é que consiga suprir até 70% da demanda anual por água quente. Mas ele não é muito recomendado para localidades frias e chuvosas. Nessas situações, o ideal é o chuveiro híbrido.

3. Chuveiro híbrido

Apto para funcionar com energia solar ou elétrica, o chuveiro híbrido é a opção para quem não pode ficar contando só com a radiação solar ou o sistema a gás para esquentar a água.

É um modelo também bastante econômico. A partir do momento que o chuveiro é ligado, a resistência elétrica aquece a água e desliga ao atingir a temperatura ideal. A partir de então, o aquecimento da água é mantido por meio do aquecedor solar ou a gás.

O que levar em consideração?

mulher escolhendo chuveiro na loja

Com tantas inovações no mercado e opções de chuveiros, muitas vezes acaba ficando difícil escolher qual modelo vender, não é mesmo? Até para o consumidor, essa escolha também pode ser tarefa complicada.

Para ajudar nessa empreitada, você pode e deve orientar os consumidores levando em consideração a necessidade de cada um. Com os tipos que já mostramos, você já entendeu qual estilo deve caber melhor no orçamento e na necessidade do cliente.

Pressão da água, economia de água e energia e custo-benefício são alguns dos quesitos primordiais na hora da compra do chuveiro. Além disso, o design e a funcionalidade do equipamento também podem pesar bastante na decisão do cliente.

Pensando em facilitar a sua vida e a do consumidor, separamos para o artigo de hoje 10 pontos que você deve levar em consideração na hora de negociar a venda do chuveiro. Preste muita atenção:

  1. No caso de chuveiro ou ducha elétricos, observar a tensão de energia na residência (220V ou 110V);
  2. Observar a pressão de água na residência para saber indicar os modelos convencionais ou o chuveiro pressurizado;
  3. Capacidade de vazão de água do chuveiro para atender a demanda do domicílio;
  4. Potência do chuveiro (quanto maior, mais energia se gasta);
  5. Estilo do jato d’água;
  6. Facilidade para limpeza e troca de resistência;
  7. De fácil instalação;
  8. Facilidade para encontrar acessórios para eventuais trocas;
  9. Observar a classificação do Inmetro (e nível de consumo);
  10. Marca.

Qual chuveiro vender na minha loja?

A resposta para essa pergunta é: ter uma variedade deles. Você precisa oferecer variedade para os seus clientes. O mix de chuveiros deve contar com os modelos mais simples aos mais rebuscados, mas, claro, respeitando o seu orçamento e o perfil do seu público consumidor.

Agora que você sabe quais são os principais tipos de chuveiro, também precisa entender que existem inúmeros modelos dentro de cada categoria. Na linha convencional, por exemplo, os modelos contam com vazão de água e nível de até quatro temperaturas.

A linha premium conta com acabamento cromado ou fosco, dourado ou prata, além de tamanhos de vazão e estilo de instalação diversos (teto, parede, lateral). Há ainda chuveiros que contam com sistema de iluminação e de som acoplados.

O importante é que você consiga oferecer opções ao cliente e contar na loja com os acessórios e ferramentas que são necessários para a instalação do chuveiro, por exemplo:

Informação e variedade em 1º lugar

Como você viu, há inúmeros fatores que influenciam na venda de chuveiros. Ter informação técnica e variedade no sortimento vão te colocar na frente da concorrência na hora de aumentar o lucro da loja com a venda de produtos da categoria.

Aproveite para capacitar os vendedores da loja a fim de orientar o consumidor quanto à instalação do aparelho em casa. Esteja à disposição para tirar as dúvidas do cliente e proporcionar a ele a melhor experiência de compra possível.

A temporada de venda de chuveiro está aí. Basta aproveitar. Mas antes, dê uma passadinha no texto que fala sobre ter um cantinho no supermercado para pequenos reparos.

Até a próxima!