Tudo bem que nossa expectativa para este ano era de retomada da economia, mas a Ômicron mudou esse cenário. Agora, a caminhada vai ser um pouco mais longa, mas nada de desânimos por aqui. Até porque já temos algumas tendências de 2022, que serão fundamentais para te ajudar a percorrer esse longo trajeto que temos pela frente.

Assim, a incerteza sobre a pandemia de Covid-19, o processo de vacinação em todo o mundo, além da inflação e eleições, fazem de 2022 um ano coberto por neblina. Apesar de qualquer contratempo, há transformações ativas acontecendo e reformulando o varejo, puxadas principalmente pelos novos hábitos de consumo e a disponibilidade de tecnologias.

No artigo de hoje, vamos apresentar algumas tendências de 2022 que estão em alta no varejo para ajudar o seu negócio a enfrentar os entraves que, porventura, o mercado venha a sofrer neste ano.

8 tendências de 2022 para o varejo

Separamos as principais tendências de 2022 para que você possa analisar a sua loja sob o ponto de vista de cada uma delas. Pense no que você pode melhorar ou implementar para que as vendas cresçam de vento em popa.

Ou em como você pode criar estratégias para aumentar a sua carteira de clientes como um bom mix, com preços e atendimento atrativos. Também vale analisar o que deu certo em 2021 que pode ser reaproveitado para este ano.

Então, vamos às oito tendências que separamos para você!

1. Foco no marketplace

A primeira da lista das tendências de 2022 é a participação dos marketplaces no mercado varejista. Mesmo quem antes só trabalhava com a possibilidade da venda física, para este ano precisa pensar efetivamente em vender online. O marketplace é um canal excepcional para alcançar esse objetivo.

Você já viu aqui no blog o quanto o marketplace é importante para os lojistas. Quer recordar? Acesse o nosso artigo sobre o que é marketplace e como funciona o marketplace do Martins.

Agora, o que você deve se atentar quanto ao foco no marketplace é em como ele tem ajudado os varejistas a alcançarem novos públicos no e-commerce. Como também ele se tornou a principal ferramenta do varejo, sendo responsável por 78% de todo o mercado.

Por isso, fixe aí esse resumo das principais influências e vantagens do marketplace sobre o desempenho do varejo brasileiro:

  • Baixo custo operacional para o lojista, já que ele “aluga” o espaço dentro de uma vitrine virtual;
  • Maior visibilidade para a loja e maior alcance de consumidores;
  • Possibilidade de vender para todos os territórios;
  • Relevância em SEO já que as chances de se destacar em sites de busca aumentam;
  • Redução nos gastos com mídia e marketing;
  • Reforço da segurança nas vendas online

Isso tudo quer dizer que: não há dúvidas! O marketplace é um dos melhores locais para se vender mais em 2022 e você ainda vai ter um apoio especializado nas vendas por meio do relacionamento com o gestor do marketplace.

2. Integração de canais

Estar no marketplace não quer dizer, necessariamente, que você precisa migrar o seu negócio. Muito pelo contrário. Estamos falando em ampliação por meio da integração de canais. Essa é outra tendência de 2022 para o varejo.

A pandemia transformou as compras feitas pela internet em uma preferência do consumidor. Só que não tirou dele o gosto de comprar na loja física, podendo escolher o produto com os olhos e as próprias mãos.

De acordo com o Relatório de Varejo 2021 da Adyen, 90% dos consumidores disseram categoricamente que não voltam a comprar de marcas caso já tenham vivido uma experiência de compra ruim na loja física ou online.

A mesma pesquisa ainda revela que 71% dos entrevistados seriam mais leais ao varejista que lhes permitissem comprar online e fazer devolução na loja física. Por isso, consegue entender a importância de estar integrado?

Unir os seus canais de vendas é melhorar a experiência dos seus consumidores e deixá-los cada vez mais satisfeitos. Isso pode ser feito por meio da loja física e da virtual, através de aplicativos, de um marketplace, redes sociais da loja etc.

3. Consumo online na terceira idade

De acordo com uma pesquisa da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do SPC Brasil, no ano passado, a pandemia formulou bastante a relação dos idosos com a internet. Com isso, o consumo online na terceira idade vem sendo um tópico importante para o varejo lidar.

O índice de pessoas idosas com acesso à internet subiu para 97% no ano passado. Uma das principais motivações é buscar informações sobre produtos e serviços (54%).

Se os idosos nunca foram um público potencial para as suas vendas, comece a reconsiderar agora em 2022. Foque em estratégias de vendas para eles, seja na internet ou no seu ponto de venda.

Você pode, por exemplo, realizar uma pesquisa de mercado ou enquetes pelas redes sociais e WhatsApp com esses clientes da terceira idade.

O intuito é entender melhor o que eles esperam da sua marca. Pode também focar em um atendimento ou uma campanha promocional personalizada para eles.

4. Personalização no atendimento

E já que tocamos neste assunto, vamos falar agora da quarta tendência de 2022 para o varejo: a personalização no atendimento. Seja para idosos ou os demais públicos, você precisa fazer com que o consumidor se sinta especial.

O melhor canal para alcançar esse objetivo é apostar na fidelização do cliente. Crie programas de fidelidade ou ações que possam fazer com que o cliente sempre dê preferência a você nas próximas compras.

Além disso, use cupons de desconto exclusivos e programas de cashback, a aposta está nas tecnologias de pagamentos. Por meio dessas plataformas de pagamento unificadas, o lojista consegue acesso a informações sobre o perfil do cliente para poder usar isso em novas estratégias de venda depois.

Conhecer o seu cliente muito bem e o comportamento de consumo dele são os primeiros passos para conseguir personalizar o seu atendimento e fidelizar a clientela.

5. Pix

Não podemos deixar de fora a cereja do bolo de tendências de 2022 o Pix. Essa modalidade de pagamento, com certeza, segue forte e se consolidando mais no varejo brasileiro neste ano.

Com apenas um ano em plena atividade, o sistema unificado de transferências e pagamentos instantâneos já superou 105 milhões de usuários e 7 milhões de empresas.

A expectativa é que em 2022 ganhe ainda mais adeptos, especialmente no e-commerce. É o pagamento à vista instantâneo que acaba favorecendo lojista e consumidor no processo de compra.

Aquela demora em aprovar pagamento por boleto ou cartão, muitas vezes culminando na desistência da compra, não acontece com o Pix. Mais praticidade, agilidade e muitas vezes é possível dar um descontinho a mais para os pagamentos via Pix.

6. Live commerce

Os lives commerce seguem com tudo em 2022. Calma! Não ouviu falar? Vamos te explicar agora, então.

Sabe quando você está online no Instagram ou no Facebook e de repente aparece um “ao vivo” de algum perfil comercial e você clica. Aí o pessoal está anunciando e vendendo produtos por lá. Isso é um live commerce!

As transmissões ao vivo focadas em vendas se popularizaram muito nesta pandemia e é uma ação de vendas que tende a ficar. Sem custo nenhum para você, a oportunidade para ter alcance e se aproximar mais dos seus consumidores nas redes é muito boa.

Quando for fazer um live commerce, lembre-se apenas de divulgar a ação antes para os clientes e de deixar o perfil público. Assim, a adesão de conectados na hora da sua transmissão será maior.

7. Logística muito eficiente

Online ou físico, não dá para se falar em boa experiência do consumidor sem considerar a entrega de produtos. A sua logística não pode deixar a desejar em nenhum momento. Caso contrário, todo o processo de venda vai por água abaixo.

A entrega deve ser eficiente e rápida. Trabalhe com o menor prazo possível. Muitos lojistas já estão aderindo ao “quick commerce” com as compras feitas pela loja virtual ou pelas redes sociais.

O cliente espera cerca de 15 minutos ou no máximo uma hora para receber o produto em casa. Essa entrega expressa conta muitos pontinhos com ele, viu?!

Além disso, tenha uma boa gestão de mix e estoque para não se deparar com a ruptura inesperada de produtos. Não tem nada mais chato que o cliente fazer uma compra e, em seguida, ficar sabendo que o produto está em falta.

8. Cibersegurança

A proteção dos dados dos clientes deve ser levada ainda mais em consideração neste ano. Com a expansão das vendas para a internet, você tem o dever de mostrar ao seu cliente que ele está protegido a partir do momento que compartilha informações com você.

A preocupação com a cibersegurança é uma das tendências de 2022 que o varejo reforça. Por isso, trabalhe com parceiros e fornecedores que reforcem essa segurança e deixe claro ao cliente com quais marcas confiáveis você trabalha.

Invista em tecnologias que te afastem dos riscos de expor as informações da sua empresa e dos seus clientes em caso de eventuais golpes. Criptografia, cópia de segurança e autenticação para proteger dados são cada vez mais essenciais para a rotina da empresa.

Além disso, a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD) já está vigente para atuar em prol do consumidor. Evite dor de cabeça. O crescimento das vendas nos canais digitais também demanda maior controle de qualidade, gerenciamento de riscos e prevenção contra fraudes.

O comportamento dita as regras

Para finalizarmos a nossa conversa de hoje, a nossa última dica para você é que, mais do que se atentar às tendências de 2022 para o varejo, você observe bem as mudanças de consumo.

A experiência do consumidor mudou muito desde o início da pandemia e continua mudando. O cliente está mais cauteloso com os gastos e mais preocupado com a qualidade dos produtos consumidos.

Dessa forma, ele pesquisa e compara mais os preços e as marcas antes de realmente comprar o produto. As lojas que passaram a ter essa preocupação com a vida saudável e os itens sustentáveis estão saindo à frente.

No final das contas você sabe… é o comportamento do consumidor, em constante mudança, que dita as regras no varejo.

Fique de olho no mercado e continue aqui com a gente! Vamos sempre te atualizar de tudo. Por falar nisso, em atualização, você sabe o que é food service? Também é uma tendência de mercado e quem sabe pode ser aplicada no seu negócio.

E não se esqueça de ler mais sobre marketplace. Você precisa focar nas compras e vendas online por meio desse canal.

Até a próxima!