Home Segmento Bar Hotéis, bares e restaurantes: venda de vouchers pode reduzir os impactos da...
Pessoa segurando smartphone sobre uma mesa com caderno e notebook abertos.

Hotéis, bares e restaurantes: venda de vouchers pode reduzir os impactos da Covid-19

0
753

A pandemia da COVID-19 impôs limitações severas à vida social dos brasileiros. Segundo um estudo da Hotelinvest, as medidas de isolamento social colocaram a hotelaria no momento mais delicado de sua história. Para enfrentá-lo, o setor está recorrendo à venda de vouchers que poderão ser usados quando a crise sanitária estiver sob controle.

 

Muitos bares e restaurantes estão adotando a mesma medida. A venda de vouchers, nesse caso, serve para complementar a renda dos estabelecimentos que estão funcionando apenas por delivery ou para manter o fluxo de caixa daqueles que tiveram que interromper suas atividades.

O voucher nada mais é que um cupom, muitas vezes vendido com descontos especiais, para ser resgatado posteriormente. A medida não só garante uma receita, para que os estabelecimentos continuem na ativa, como também impulsiona o movimento no futuro, pós pandemia.

Com uma estratégia bem pensada, esses cupons podem viabilizar a sobrevivência do negócio e ainda te ajudar a conquistar novos clientes. Continue a leitura e saiba como implementar essa alternativa nos diferentes setores afetados pelo novo coronavírus!

Pessoa assinando um papel no balcão de hotel ao lado da campainha, enquanto outra pessoa aponta o dedo em um ponto do papel

COVID-19: como implementar a venda de vouchers na hotelaria?

A circulação de pessoas pelo país e pelo mundo é uma das principais razões pela grande disseminação da COVID-19, o que tornou o turismo um dos grandes vilões do momento. Como consequência, o levantamento da Hotelinvest mostra que, durante o mês de março, a ocupação nos hotéis caiu de 70% a menos de 10%, e isso só em São Paulo.

Tomando a China, foco inicial da doença, como referência, especialistas projetam que a situação deve se normalizar dentro de três meses. Até lá, a venda de vouchers pode garantir uma sobrevida aos hotéis que viram seus índices de ocupação despencar.

É importante levar em conta que a movimentação não vai voltar ao normal da noite para o dia. Assim como os hotéis, os hóspedes também estarão lidando com os prejuízos causados pela COVID-19 e o receio de sair de casa deve perdurar mesmo depois que a pandemia for controlada.

Portanto, para atrair os clientes é importante trabalhar com preços especiais e ofertas que façam o investimento valer a pena. Veja algumas sugestões:

  • Inclua na venda de vouchers serviços adicionais como pacote de refeições, passeios turísticos, traslado e atividades complementares, como spa e fotos;
  • Para hóspedes que tiveram que cancelar a reserva, ofereça upgrade de serviços e benefícios sem custo adicional para que eles optem por visitar o hotel futuramente;
  • Não foque apenas no período pós pandemia: estenda a venda desses cupons até o final do ano, dando mais fôlego para a empresa recuperar o ritmo de ocupações;
  • Descontos progressivos: atraia famílias e grupos de amigos aumentando o desconto de acordo com o número de hóspedes.

Como implementar a venda de vouchers nos bares e restaurantes?

Imagem de mesas e cadeiras de restaurante vazias e enfileiradas

Enquanto a venda de vouchers já era comum no setor hoteleiro mesmo antes da COVID-19, a prática pode parecer um pouco estranha quando aplicada aos bares e restaurantes. “Como assim pagar hoje por uma refeição que será consumida só daqui 3 meses?”, seu cliente deve estar pensando.

Para evitar esse estranhamento, é importante ser transparente com o público e comunicar de maneira clara como o programa funcionará. Num momento em que todos estão em casa sentindo falta de seus estabelecimentos favoritos, destaque que essas medidas são essenciais para garantir que os mesmos estejam na ativa quando a quarentena acabar.

Assim como no caso dos hotéis, é importante tornar a venda de vouchers atrativas por meio de ofertas especiais. Veja a medida como uma boa oportunidade para inovar no serviço e introduzir diferenciais no estabelecimento que podem garantir a fidelização no futuro.

Veja algumas sugestões:

  • Combos: aumente o ticket médio da loja com combos especiais a preços reduzidos. O clássico hambúrguer + batata frita + refrigerante não falha nunca e pode ser adaptado para todas as cozinhas com a lógica: entrada + prato principal + sobremesa;
  • 2 por 1: muitos estabelecimentos adotam a promoção para dias e horários de menos movimento, principalmente para bebidas alcoólicas. Que tal fazer o mesmo na venda de vouchers?
  • Vale-presente: já que muitos aniversários e eventos deixaram de ser celebrados por conta do vírus, o voucher pode servir como um vale comemoração atrasado!
  • Caso o estabelecimento esteja trabalhando com delivery, que tal juntar duas ofertas? Os vouchers podem sair com maior desconto para quem fizer algum pedido de pronta entrega – ou vice-versa!

Cuidados essenciais na hora de implementar a venda de vouchers

Pessoa segurando smartphone sobre uma mesa com caderno e notebook abertos

Apesar de ser uma solução simples e criativa, é importante tomar alguns cuidados ao adotar a venda de vouchers durante a COVID-19 para não sair no prejuízo.

Por mais que pareça interessante colocar os preços lá embaixo para vender muito, lembre-se que vai chegar a hora de cumprir sua parte no combinado. O dinheiro recebido vai ajudar a manter o caixa agora, mas é preciso ter renda lá na frente para entregar os produtos. Essa movimentação financeira deve ser colocada na ponta do lápis.

Fala, Mart!
Não se esqueça de estabelecer metas realistas levando em conta a realidade do negócio e possíveis oscilações de preços por parte dos fornecedores. É bom ter sempre em mente que todos estão sendo afetados pela COVID-19.

É importante, também, investir na divulgação dessa nova forma de vendas, aproximando o cliente da empresa durante o período da quarentena para criar o desejo de compra. As regras para o uso dos cupons devem ser claras em todos os canais de comunicação do estabelecimento, evitando qualquer mal-entendido, ok?

Para mais dicas de como manter o negócio durante a pandemia, acompanhe os conteúdos especiais sobre a COVID-19 que eu preparei e, lembre-se: pode contar comigo e com o Martins!

DEIXE UMA RESPOSTA:

Please enter your comment!
Por favor, insira seu nome