Home Dicas Covid-19 Como montar uma estrutura de vendas pela internet?
Duas pessoas, uma segura uma prancheta com a palavra E-COMMERCE e a outra aponta para ela. Há vários desenhos sobre o tema.

Como montar uma estrutura de vendas pela internet?

0
951

Por conta da pandemia, as vendas pela internet têm sido uma alternativa para os varejistas manterem seus negócios na ativa. Em levantamento recente, a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico identificou que algumas categorias de bens de consumo tiveram um aumento de mais de 100% nas vendas de março.

 

O setor de saúde cresceu 111% em relação ao ano passado, enquanto beleza & perfumaria e supermercados contabilizam um aumento de 83% e 80%, respectivamente. Especialistas entrevistados pela Folha de São Paulo afirmam que o momento é propício para que os segmentos com menos tradição no e-commerce também ganhem protagonismo nas plataformas digitais.

Se você sempre pensou em dar uma chance para as vendas pela internet, a hora é agora! Mas, se você nunca imaginou sua empresa como um e-commerce, que tal transformar o momento em oportunidade para inovar?

Não perca mais tempo e acompanhe minhas dicas para tirar seu e-commerce do papel!

A imagem apresenta em destaque a tecla enter alaranjada escrito E-COMMERCE, além de uma ilustração de carrinho de compras

Por que investir em vendas pela internet?

Por conta dos protocolos de isolamento social, as vendas online se tornaram uma saída para aqueles segmentos que tiveram que fechar as portas ou reduzir suas atividades. Já aqueles que ainda oferecem serviços presenciais viram no comércio digital uma oportunidade para atender o público com mais comodidade e segurança.

Mas antes mesmo da pandemia, uma pesquisa da PwC mostrou que 7 em cada 10 brasileiros já comprava regularmente pela internet, provando que a prática está bem estabelecida por aqui. Além disso, esse tipo de comércio online ainda traz vantagens independente do cenário de quarentena.

Confira!

  • Redução de custos fixos: Com as vendas pela internet, de cara você já economiza com o aluguel. Os gastos com limpeza, segurança e mobiliário também são dispensados, o que faz do e-commerce uma boa porta de entrada para quem quer começar um negócio mas não pode investir muito.
  • Funcionamento 24 horas: Enquanto uma loja física tem suas atividades limitadas pelo horário comercial, uma loja virtual funciona 24 horas por dia, 7 dias por semana. Assim, você tem mais oportunidades de venda e pode adequar a disponibilidade do serviço aos diferentes ritmos e hábitos dos clientes.
  • Menos colaboradores: Existem muitos e-commerces com apenas um funcionário, o próprio dono que comanda tudo de casa. Já uma operação maior deve contar com colaboradores, mas o número nem se compara ao de uma loja física. Graças à automatização das vendas pela internet, também é possível vender em fins de semana e feriados sem precisar aumentar a equipe ou arcar com horas-extras.
  • Relacionamento com os clientes: Sempre bato na tecla da importância de conhecer bem o público e em uma loja física essa prática demanda mais esforço e uma certa boa vontade dos clientes. Numa loja online você tem controle sobre todos os clientes, do perfil ao histórico de compras. Com essas informações, é possível oferecer um serviço muito mais personalizado, além de facilitar a comunicação.

Como começar a vender pela internet?

Duas pessoas, uma segura uma prancheta com a palavra E-COMMERCE e a outra aponta para ela. Há vários desenhos sobre o tema

Agora que já te convenci das vantagens das vendas pela internet, é hora de colocar a mão na massa. Ao final desse passo a passo, você vai estar pronto começar. Confira!

Planeje-se!

Nesse ponto, uma loja online não é muito diferente da física. Antes de começar, é preciso se planejar. Isso significa realizar uma pesquisa de mercado e definir fatores como público-alvo, mix de produtos e posicionamento da marca.

Se você já tem um negócio e deseja implementar com vendas online, boa parte desse trabalho já foi feito. No entanto, é preciso levar em conta as particularidades da plataforma e lembrar que seu público não é mais só aquele do bairro ou da cidade, o que aumenta seu leque de possibilidades.

No online, por exemplo, é mais fácil testar a aceitação de novos produtos e investir em mercadorias de nicho, como vinho e bebidas alcoólicas no caso dos supermercados. Já as farmácias podem priorizar itens de beleza e perfumaria, com menos destaque para itens básicos, como pasta de dente (que são mais vendidos presencialmente).

Defina sua plataforma

As decisões tomadas no planejamento inicial vão te ajudar a escolher a plataforma mais adequada para suas vendas pela internet. As mais populares são:

  • Plataforma própria: essa é uma indicação para os negócios mais robustos, que movimentam um grande volume de vendas e/ou oferecem produtos mais caros, e possuem sistema de pagamento e frete integrados. É a opção mais completa e segura para as vendas online e podem ser adquiridas por meio empresas especializadas.
  • Plataforma alugada: embora ofereçam menos possibilidade de personalização e tráfico limitado, essa é a alternativa mais fácil para quem deseja colocar o site no ar em poucas horas sem grandes complicações. A loja fica hospedada dentro de uma plataforma, que cobra uma taxa mensal (ou por vendas) em troca do serviço.
  • Marketplace: o marketplace é uma plataforma que centraliza os catálogos de diferentes lojas em um único lugar. É o caso da Amazon, do Magazine Luiza, e do Martins. Por serem gigantes, os marketplaces permitem que suas vendas pela internet alcancem muitas pessoas, o que pode ser difícil em outros canais, principalmente quando a loja é nova.
  • Mídias sociais: as mídias sociais são tão populares nas vendas pela internet que as próprias plataformas já oferecem ferramentas para as lojas, como é o caso do Facebook e do Instagram. Mas é possível implementar criando uma lista de transmissão no Whatsapp para divulgar as ofertas do dia – solução adotada por muitos restaurantes nessa quarentena!

Defina a logística

O segredo do sucesso da maioria dos e-commerces não está nos preços e nem nos produtos, mas sim em uma logística eficiente. É por meio dela que você irá definir o processo de venda de forma integrada com as diversas ferramentas tecnológicas.

Sua logística deve considerar: controle de qualidade, estoque dos produtos, envio dos pedidos para transportadora/Correios, rastreio dos pedidos enviados, controle de entregas. Ou seja, todo o caminho que a mercadoria percorre, até chegar nas mãos do cliente, deve estar fluindo bem!

Uma mulher segura um cartão de crédito em frente a um notebook, que tem um site de loja virtual aberto.

Estabeleça estratégias de divulgação

Um plano de marketing é essencial para impulsionar as vendas pela internet, já que ninguém vai descobrir sua loja passando por ela na rua. A boa notícia é que as ferramentas de marketing digital permitem que você coloque sua vitrine – ou seja, os anúncios – onde o cliente está.

Quem já possui uma loja física conta com a vantagem de ter um banco de dados com clientes e uma marca estabelecida, mas eles não devem ser seu único alvo. Na internet, é possível alcançar diferentes faixas de público por meio de estratégias de segmentação.

Não se esqueça de manter as mídias sociais da empresa sempre atualizadas e ativas, fortalecendo o relacionamento com o público. Se os anúncios agora são a nova vitrine, os perfis públicos são o balcão da loja e devem estar sempre prontos para receber os clientes.

A escolha do fornecedor também é determinante para o sucesso das suas vendas pela internet. E o Martins está preparado para ser seu parceiro durante essa pandemia, confira nosso plano para atravessar esse período sem deixar as vendas caírem!

DEIXE UMA RESPOSTA:

Please enter your comment!
Por favor, insira seu nome