Home Destaque Quais são os tipos de concorrência?
Mulher andando na rua segurando sacolas

Quais são os tipos de concorrência?

0
535

Se formos olhar no dicionário o significado da palavra concorrente, o resultado vai ser mais ou menos esse: todo negócio que disputa mercado e clientes com você. A definição está correta, mas é muito simples. Existem diferentes tipos de concorrência por aí e é importante conhecer todos perto.

Concorrência não é só aquela empresa igualzinha à sua, como a maioria das pessoas pensa. É possível competir com produtos, público-alvo e até inovações – e esses tipos de ameaças podem vir de negócios com perfis bem diferentes.

Nem todo concorrente representa o mesmo tipo de ameaça, por isso o ideal é conhecer bem as particularidades de cada um para sair sempre na frente.

Veja quais são os principais tipos de concorrência e como contornar cada uma delas!

Pessoa andando num corredor entre várias lojas

Tipos de concorrência: direta e indireta

O mundo corporativo oferece uma classificação mais complexa para os tipos de concorrência que atingem principalmente as grandes empresas. É o caso da concorrência perfeita, na qual vários negócios competem porque só um não atenderia todo o público, e da concorrência imperfeita, relacionada à existência de monopólios.

Já no universo do pequeno varejista o que mais se observa são as concorrências diretas e indiretas. Vamos aprender mais sobre elas?

Concorrência direta

Trata-se de um negócio que oferece produtos iguais e tem como objetivo alcançar o mesmo nicho de mercado e o mesmo ramo que o seu. Os pontos de venda são semelhantes e o público-alvo também.

Ou seja, para ganhar a preferência do público é preciso encontrar meios para se destacar que vão além do produto e, em muitos casos, até dos preços.

Duas lanchonetes que colocam hambúrgueres e cervejas artesanais como carros-chefe do cardápio, por exemplo, são concorrentes diretos. O mesmo vale para mercadinhos de bairro localizados em uma mesma região ou as lojas de material de construção da cidade.

Mulher andando na rua segurando sacolas

Concorrência indireta

Nesse caso, trata-se de empresas que oferecem produtos similares, mas não idênticos, para um mesmo perfil de consumidor.

Para quem vende vassouras, a loja de eletrodomésticos pode ser uma concorrência por conta do aspirador de pó, que substitui o uso da vassoura. O mesmo vale para mercearias e postos de gasolina, que se tornam concorrentes quando os produtos da loja de conveniência são semelhantes aos do armazém.

Nesses casos, é importante conhecer a fundo o perfil do consumidor – ou melhor, dos consumidores. O varejista que entende que seu público não é um só, mas pessoas diferentes, com necessidades diferentes, tem a chance de oferecer um atendimento personalizado, com a variedade de produtos necessária para solucionar as dores de todos os perfis possíveis.

Até onde vai a concorrência?

Fachada de lojas em uma parede de tijolos

Dentre os tipos de concorrência, também existem aquelas que ficam numa zona nebulosa, que não é bem direta ou indireta. É o caso daquele armazém que vende vassouras e a fábrica de vassouras que chegou na região e começou a vender para o público doméstico.

Outro caso parecido seria o de uma grande loja de departamentos que vende, dentre muitas outras coisas, algumas sanduicheiras. Para o mercadinho da esquina que trabalha com eletrodomésticos simples, dentre eles a sanduicheira, será que a loja de departamentos representa uma concorrência de verdade?

Nesses casos, embora os produtos sejam parecidos, o perfil consumidor é bem diferente. Quem compra a sanduicheira no mercadinho da esquina está em busca de uma solução rápida e provavelmente não visitaria uma grande loja de eletrodomésticos só para comprar uma sanduicheira nova.

O mesmo vale para as vassouras. Quem decide comprar direto na fábrica de vassouras não está em busca de uma vassoura para varrer a casa, mas sim 10 ou 20 vassouras para o almoxarifado da escola, por exemplo.

Isso não significa que esses tipos de concorrência devem ser ignorados por completo. Ficar de olho nos preços sempre é bom e pode ter certeza que a clientela não perde esse detalhe de vista. No entanto, esse não precisa ser o centro das suas preocupações.

Para mais informação todos os dias na sua timeline, fique de olho no LinkedIn do Martins.com.br!

Deixe um Comentário!

DEIXE UMA RESPOSTA:

Please enter your comment!
Por favor, insira seu nome