Home Destaque Futuro do varejo não é só tecnologia! Saiba onde e como investir
futuro do varejo: pessoa caminhando em rua com lojas

Futuro do varejo não é só tecnologia! Saiba onde e como investir

0
1348

O futuro do varejo é um assunto que gera muitas especulações, principalmente na vida de quem tem um negócio.Justamente por estar no futuro – que dizem que a Deus pertence – é difícil dizer com certeza o que vai pegar e o que não vai pra frente.

Porém, existem alguns caminhos possíveis. Observando algumas tendências atuais e a partir da análise da necessidade e do perfil dos consumidores contemporâneos, dá pra ter uma boa noção de como o futuro do varejo vai se apresentar para nós, que trabalhamos ativamente com ele.

futuro do varejo: pessoa caminhando em rua com lojas

O futuro do varejo é flutuante, e só nos resta descobrir como ele será encarando de frente e nos adaptando a cada inovação que surgir. Vamos juntos?

O futuro do varejo está na experiência

A experiência com a marca é a tendência mais forte quando falamos em futuro do varejo. Muito além de simplesmente comprar o produto, o consumidor irá buscar cada vez mais outros aspectos, como a conveniência, a comodidade e, principalmente, uma ideia na qual ele possa se afeiçoar.

Isso já está acontecendo. Vamos pegar o Carrefour de exemplo. A tradução literal do nome da gigante francesa é “intersecção” ou “encruzilhada”. Essa escolha de nome foi feita para dizer ao consumidor que o Carrefour está presente em qualquer canto da cidade.

Com os hipermercados isso é difícil de se realizar pelo tamanho da estrutura, por isso a marca criou há alguns anos o Carrefour Bairro, menor e mais voltado para as compras do dia a dia. A ideia é estar perto das pessoas, estimular a convivência nos bairros e a socialização entre vizinhos.

futuro do varejo: prateleira cheia de produtos

Isso é experimentar a marca. O futuro do varejo aponta para experiências cada vez mais afetivas e fortes entre o negócio e o cliente, aumentando a fidelização aos estabelecimentos por laços emocionais e de identificação. É isso que você deve oferecer no seu negócio, seja ele qual for. Mais do que preço, mais do que layout: uma ideia.

Relacionamento com o cliente

Pra quem viveu na época do auge do varejo tradicional chega a ser até um pouco estranho ver como os comércios mais modernos interagem com os clientes, com tanta naturalidade e proximidade. Essa é uma outra tendência que já está se consolidando e que definirá o futuro do varejo.

O cliente quer se sentir seguro e compreendido quando escolhe uma loja pra comprar. Hoje, isso se realiza por meio de perfis em redes sociais humanizados, que respondem e interagem com os clientes, canais de ouvidoria cada vez mais criativos, consultores disponíveis no Whatsapp, etc.

O futuro do varejo, pelo que você pode ver, não mais só uma questão de oferecer aos clientes aquilo que eles querem comprar, mas de fazer parte de suas vidas como um todo. Fale com eles, entre em contato com a sua rotina e a sua vida que tudo vai se encaixar pra você!

Não, a loja física não vai sumir

Em qualquer lugar da internet que você procurar sobre o futuro do varejo é certo que vai ter gente dizendo que os e-commerces vão dominar tudo e que as lojas físicas passarão a sera segunda opção. Será que é por aí mesmo?

Tudo bem que o e-commerce é realmente bem conveniente ao permitir que você compre sem sair de casa, dentre outras vantagens,, mas é bem improvável que todo o varejo seja substituído pelas lojas virtuais. A loja física manterá sua relevância no mercado, especialmente nos bairros e em alguns segmentos específicos, como o varejo alimentar, de vestuário, etc.

futuro do varejo: padeira inspeciona vitrine de padaria

O e-commerce é tão forte no futuro do varejo por causa da experiência de compra. Os sites lidam com conteúdo, não com vendedores. Você é quem faz o pedido, e precisa ser motivado a isso. Assim, as lojas virtuais criam uma narrativa própria através de uma “mitologia” ao redor da marca, e com isso constroem uma experiência de compra mais atrativa.

A boa notícia é que isso não é uma exclusividade do online. Como a gente estava dizendo ali em cima, ainda há bastante espaço pra que você faça o mesmo no varejo tradicional e se destaque. “Compre de negócios locais”, por exemplo, é um movimento que está vindo na contramão das grandes marcas online, tipo a Amazon, Magazine Luiza, etc. Esse tipo de experiência mais autêntica e próxima é o que muitos estão buscando. Que tal oferecer?

Não dá pra ignorar a tecnologia

A tecnologia é sim o futuro do varejo, disso não há dúvidas. Essa transição, no entanto, será gradual, e você ainda terá um tempo até precisar implementar a tecnologia à sua maneira de vender.

Contudo, vale a pena começar a investir nisso o quando antes. A integração digital no seu comércio propicia também o surgimento de novas oportunidades que podem melhorar suas vendas e agregar ainda mais àquilo que nós estávamos falando no primeiro tópico, a: exclusividade ao oferecer não só um produto, mas uma ideia que as pessoas possam se identificar.

futuro do varejo: mulher olha no celular perto de roupas em loja

Existem várias formas de fazer isso. Primeiro, é necessário ter uma presença online. Divulgue seus produtos e estimule a participação do público para que eles queiram ir conhecer a loja por vê-la na internet e se conectar com a imagem que você construiu. Isso pode ser feito usando tanto no Facebook quanto no Google, sabia?

Quando a gente fala de integração com o mundo digital, não estamos falando de coisas muito complicadas: para começar, só disponibilizar a localização no Google ou no Waze com fotos e horário de funcionamento já faz milagres.

A tecnologia é uma grande aliada do futuro do varejo, mas não é tudo. As maiores mudanças estão relacionadas com o comportamento dos clientes, sendo que o mundo digital é só mais um extra, um bônus, para alcançá-lo de forma mais certeira.

E pra acompanhar bem essa conversa, que tal falarmos um pouco mais sobre a experiência de compra no varejo?