Home Destaque Escolhendo as cores da frente de loja e a identidade visual

Escolhendo as cores da frente de loja e a identidade visual

0
394

Você já ouviu falar em psicologia das cores? Essa teoria associa cores a estímulos específicos e já foi muito utilizada para determinar as cores da frente de loja e a identidade visual dos comércios.

 

Apesar de terem fundamento, esses princípios acabam sendo limitantes e nem sempre são suficientes para alcançar os resultados desejados.

Veja o caso do McDonalds. A rede de fast-food é conhecida mundialmente pelo uso de amarelo e vermelho na identidade visual – cores quentes, atrativas e que estimulam o apetite. No entanto, o sucesso da franquia não se limita a isso e sim à ambientação como um todo, que vai desde a localização das lojas até o cheiro característico dos lanches.

Isso mostra que tem muito mais coisas que você precisa considerar do que simplesmente o efeito que uma cor pode ter em alguém. E é disso que vamos falar hoje: como escolher as cores da frente da loja de forma estratégica. Vamos começar?

Fachada de duas lojas, uma com parede de azulejos pintada de vermelho, outra verde escuro

Primeiro passo: definindo a identidade visual

Antes de definir as cores da frente de loja é preciso pensar na identidade visual. Ela pode ser definida como um conjunto de símbolos gráficos que transmitem a visão da empresa e deve, portanto, refletir os valores dos clientes que você quer alcançar.

Lembra do caso do McDonalds que citamos na introdução? Em alguns locais e ocasiões, a clássica combinação de amarelo e vermelho está sendo substituída por tons escuros, que enobrecem a marca e atraem uma clientela mais adulta, que é diferente do consumidor tradicional de fast-food.

Esse é um exemplo de como a identidade visual funciona como porta de entrada para o negócio, mas vai muito além das cores da frente de loja. Vale dizer que os elementos gráficos devem ser aproveitados em outras frentes além do espaço físico, como redes sociais e cartões de visita.

Mão na massa!

Embora seja interessante contar com a ajuda de um profissional para esse serviço, qualquer um pode elaborar a identidade do próprio comércio. Para começar, você deve pensar na mensagem que quer passar e na melhor forma de traduzi-la em elementos gráficos. Qual o seu produto? Quem é seu público? Quais valores você deseja transmitir?

Lojas de artigos para bebê, por exemplo, costumam apostar em tons pastéis e fontes lúdicas no logotipo, uma referência ao imaginário das crianças. As cores mais suaves ajudam a transmitir serenidade, ideal para produtos delicados, além de fazer uma associação direta ao universo dos bebês, como uma extensão do quarto dos pequenos.

Já as lojas de brinquedo combinam melhor com tons vibrantes e dinâmicos. Crianças são atraídas por estímulos visuais fortes, o que combina com os produtos e também ajuda a destacar o negócio entre os concorrentes.

Mulher de cabelos curtos atrás do balcão de loja com vários produtos infantis, doces e decoração cor-de-rosa

Segundo passo: definindo as cores da frente de loja

Agora que você já traçou o perfil do seu negócio e definiu os símbolos gráficos chave, é hora de colocá-los em prática de maneira mais efetiva. Mas antes de partir para a escolha das cores da frente de loja, alguns detalhes além da identidade visual precisam ser considerados.

As cores neutras e claras, por exemplo, ajudam a criar amplitude, por isso devem ser priorizadas em espaços pequenos, que podem se beneficiar de um layout mais clean. Da mesma forma, cores escuras tornam os ambientes automaticamente mais acolhedores, além de enobrecer o que está sendo oferecido.

Muitos restaurantes fazem o uso de paredes escuras para criar uma atmosfera intimista e sofisticada, e isso também está sendo incorporado por outros negócios que desejam alcançar um nicho de mercado mais nobre. Muitas vezes a diferença entre um açougue comum e uma boutique de carnes, por exemplo, está nas cores da frente de loja!

Veja como isso pode ser aplicado em diferentes segmentos:

Mercados e mercearia

Fachada de mercadinho com faixa vermelha, baldes e utensílios na calçada

Pela variedade de produtos oferecida em um mercadinho, o espaço interno precisa ser claro e iluminado para não cansar os clientes. Por outro lado, o varejo alimentar é o que mais se beneficia do uso de cores quentes e primárias, como o amarelo e o vermelho.

Além de chamar a atenção do cliente, você precisa estimulá-lo a comprar. Inserir o vermelho nas cores da frente de loja e em detalhes específicos da decoração pode causar esse efeito. Já o amarelo é bom para fazer alerta de promoções.

Vermelho e amarelo são as cores preferidas do comércio popular, mas dependendo do seu nicho de mercado é possível explorar outras opções. O verde combina com mercadinhos voltados para produtos frescos e naturais, enquanto os diferentes tons de cinza em contraste com algum tom quente – que tal laranja? – criam uma atmosfera de simplicidade e elegância, ideal para mercados cujo foco são produtos mais sofisticados.

Bares e restaurantes

Fachada de restaurante fast food, luzes neon, placa com hambúrguer e batata frita

Tons quentes e vibrantes, como amarelo, vermelho e laranja combinam com lanchonetes, fast-foods e locais com grande rotatividade de público. A ideia é atrair as pessoas e criar um senso de urgência, mas na parte interna é preciso equilibrar bem esses estímulos para não oferecer um ambiente sobrecarregado.

O marrom nos remete à terra e cria automaticamente uma sensação de familiaridade e aconchego. Muitos apostam na combinação de marrom e vermelho para a identidade visual de restaurantes de comida caseira, seja um self-service que promete tempero de mãe ou uma lanchonete de pegada rústica.

Por outro lado, cores claras e suaves – como azul e verde combinados a tons de cinza, branco e off-white – podem não ser tão chamativas, mas relaxam e convidam o cliente a passar bastante tempo no local, por isso são as favoritas de restaurantes sofisticados.

Placa de bar com luzes neon vermelhas

Bares no geral costumam adotar tons mais escuros, por serem mais nobres e intimistas. Se você serve coquetelaria tradicional, pode apostar nas cores usadas em brasões da nobreza, como verde escuro, vinho e roxo.

Mas se sua ideia é oferecer um ambiente moderno e descolado, os tons pastéis da estética escandinava revelam criatividade e olhar aguçado para tendências – e ficam ótimos em fotos para as redes sociais!

Hotéis

Fachada de hotel com duas portas duplas fechadas e mesas na calçada

Lembra do que falamos sobre a capacidade das cores em criar urgência, conforto e bem estar? São esses estímulos que você deve explorar na hora de escolher as cores do seu hotel a partir do perfil de hóspede desejado.

No geral, hotéis optam pelo branco e outras cores claras, já que luminosidade, sobriedade e calma estão entre as principais características que as pessoas buscam ao decidir onde se hospedar. No entanto, é preciso tomar cuidado para o ambiente não ficar frio demais.

O azul é outro grande favorito das redes hoteleiras: além de ser a cor mais comumente associada à tranquilidade, ele também transmite estabilidade e confiabilidade. Cores escuras e terrosas fazem parte da paleta de hotéis mais luxuosos, pois remetem a tradição.

Já as cores vibrantes, como vermelho, laranja e até roxo podem ser boas alternativas para hotéis com perfil mais jovem, como pousadas e até hostels, ou aqueles de passagem rápida, como os localizados perto de rodoviárias e aeroportos, comuns em grandes cidades.

Tranquilidade e aconchego são valores fortes na hotelaria, mas praticidade e solução de problemas também.

Se você quer aproveitar a mudança nas cores da frente de loja para fazer uma reforma no seu estabelecimento, veja nosso guia da reforma rápida!

Deixe um Comentário!

DEIXE UMA RESPOSTA:

Please enter your comment!
Por favor, insira seu nome