Home Destaque Cuidados com o controle de estoque de produtos não perecíveis

Cuidados com o controle de estoque de produtos não perecíveis

0
216

A preocupação com os produtos perecíveis muitas vezes leva o varejo a acumular perdas de outros itens que não foram monitorados. Por isso também é fundamental seguir alguns cuidados com o controle de estoque de produtos não perecíveis.

Quando não há um acompanhamento de perto em relação a entrada e saída dos itens, você corre o risco de alguns passarem do prazo de validade. E com isso as vendas são dadas como perdidas.

E tem ainda os produtos que exigem um cuidado maior com as embalagens, pois ao armazenar ou manusear de forma errada no estoque, você pode danificá-las, o que também conta como prejuízo.

No texto de hoje vou trazer algumas dicas importantes para você acertar no controle de estoque de produtos não perecíveis e com isso dar adeus a esse tipo de problema!

Armazenamento dos produtos

A primeira orientação é quanto ao armazenamento dos produtos não perecíveis. Seja itens alimentícios, de higiene e beleza, cuidados pessoais ou limpeza, cada categoria vai ter uma particularidade. Então você precisa observar, por exemplo, qual o tipo e a condição daquele produto.

Os produtos com consistência secasal, café, açúcar, macarrão, dentre outros – são os mais fáceis de estocar. Geralmente a conservação deles não demanda cuidados excepcionais, já que os prazos de validade são bastante amplos. Basta um ambiente arejado e limpo.

Agora, aqueles produtos líquidos como detergente, amaciante, refrigerante, suco de caixinha, acetona e soro fisiológico precisam ser analisados minuciosamente. Ao receber esses itens do fornecedor, cheque todas as embalagens, observe se não há nada vazando e confira a validade e os lacres. Na hora de expor nas gôndolas, tire o excesso de poeiras das embalagens.

Se colocar no lugar do cliente é sempre uma boa estratégia para os negócios. Olha só: qualquer variação na embalagem de produtos vai fazer com que o consumidor não conclua a compra e o produto poderá ficar encalhado na loja.

Todo e qualquer alimento não perecível merece a mesma atenção. Antes de colocar os produtos no estoque ou nas prateleiras no ponto de venda, certifique-se que os locais de armazenamento ou exposição estão limpos e higienizados. Qualquer contato de sujeira ou insetos e animais peçonhentos poderá danificar os produtos.

Entre os itens mais vulneráveis a essa condição estão cereais em geral, macarrão, café, sal, fubá, farinha e biscoitos. Qualquer dano na embalagem coloca esses produtos em contato direto com o ambiente contaminado, gerando perda e prejuízos.

Tenha sempre em mente que por mais que os alimentos não perecíveis não estraguem com facilidade, isso vai depender diretamente dos cuidados contínuos que você e sua equipe têm com os produtos.

Estocagem de não perecíveis

Seja para a exposição dos produtos à venda ou no estoque, existem quatro dicas para o varejo em relação aos produtos não perecíveis. Anote aí para não se esquecer:

  1. Locais bem arejados;
  2. Locais limpos e devidamente higienizados;
  3. Boa luminosidade;
  4. Monitoramento contínuo do estoque e exposição dos produtos.

Considerando esses pilares na gestão do estoque e mix você não terá perdas. Pelo menos não por produtos que venceram ou foram danificados no interior da loja.

Outro cuidado que você deve adotar é quanto à validade dos produtos. Faça um monitoramento constante dos prazos dos produtos recebidos e já estocados. Os que têm maior prazo podem ficar ao fundo da organização. Já os produtos cujo lote tem a validade reduzida, devem ser colocados à frente.

No mercado esse modelo é conhecido como First expired, first out (FEFO) ou “Primeiro a vencer, primeiro a sair”. Por mais que essa rotina seja muito usada para produtos perecíveis, nada impede a aplicação da regrinha para itens não perecíveis.

Gerenciamento de estoque

Tudo vai depender de um bom trabalho de gerenciamento de estoque em conjunto com a equipe de expositores. Hoje é possível ter acesso a diversos softwares que auxiliam o varejista nessa atividade. Se não consegue fazer esse investimento no momento, capacite sua equipe para que ela seja atenta e organizada nesse propósito.

Um erro bastante cometido no pequeno varejo é ter a ideia de que o estoque fica em uma área isolada e escura do estabelecimento. A atenção com o ambiente deve ser na mesma proporção que todos têm com o ponto de venda.

O estoque deve contar com janelas ou aberturas desde que protegidas com telas para evitar que mosquitos e pragas entrem no depósito. Atenção também para as portas de entrada e saída do estoque para que tenham uma boa vedação com borrachas ou outro material resistente.

Ah!, mais uma recomendação: se for usar pallets para armazenar os itens não perecíveis, é preferível que não se use os de madeira ou materiais afins. Esse tipo de material poroso acaba absorvendo mais a umidade do ambiente e pode favorecer a proliferação de fungos e, consequentemente, a perda de produtos.

A gente consegue te ajudar nessa organização, principalmente com o inventário. Baixe nossa planilha grátis e comece hoje mesmo a organizar tudo. É só abrir e preencher. Bora lá?

A política da boa gestão

A segunda pesquisa da Associação Brasileira de Prevenção de Perdas (Abrappe), divulgada em julho deste ano, mostra que as perdas tiveram um aumento, após três anos em queda. São cerca de R$21,46 bilhões em desperdícios de itens no varejo brasileiro.

Os supermercados e perfumarias tiveram os maiores índices de perdas com índices de 2,05% e 1,92%, respectivamente. Também se destacam os canais farma (1,09%), material de construção (1,02%) e eletro/móveis (0,46%).

Agora, acredite só: as quebras operacionais lideram a lista das perdas, sendo o maior problema o vencimento de produtos (24%). Em seguida a deterioração com 18% e os itens danificados pelos próprios funcionários durante o manuseio em terceiro lugar, com 12%.

Qual o impacto disso na sua loja? Perda da lucratividade! Caso esses problemas estejam acontecendo na sua loja você está perdendo dinheiro e tendo prejuízo com produtos já adquiridos e que não foram repassados ao consumidor.

Ter esse controle de estoque de produtos não perecíveis é essencial para a sua loja. Experimente incluir nas estratégias da sua loja as dicas de hoje e, com certeza, você vai colher bons frutos dessa prática.

É preciso se conscientizar e investir em uma boa gestão desde o estoque até a linha de frente do varejo. Quem sabe até montar um departamento de prevenção de perdas que vai ajudar você a monitorar os produtos não perecíveis da loja.

Mais do que cuidar da saúde e da satisfação do cliente, a política do bom gerenciamento de estoque e mix te livra dos prejuízos e de possíveis problemas quanto a eventual descumprimento das normas da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Aproveite para ler sobre nossas dicas sobre para evitar perdas de FLV e também sobre como fazer uma boa gestão de categorias no varejo.

Até a próxima!