Por ano, o mercado de sementes movimenta cerca de R$ 22 bilhões no Brasil. Para você, do setor agrovet, essa é uma grande oportunidade de otimizar as vendas. Afinal, a categoria de sementes envolve um mix de produtos de alto valor para o consumidor desse nicho.

Dito isso, sugerimos uma reflexão: de que forma você tem cuidado da apresentação deste produto? Como você sabe, tanto na vida quanto no PDV, o que não é visto dificilmente é lembrado. E, se você tem no seu portfólio itens de grande interesse, é preciso dar o devido destaque.

Para ajudar nesse desafio, selecionamos algumas dicas e estratégias para organização da sua loja. Além disso, vamos conversar um pouco sobre as possibilidades de campanhas de marketing que a venda de sementes gera.

Você vai ver que as sementes não se multiplicam apenas na terra. Dentro do seu empreendimento, a venda de sementes é a porta de entrada que pode levar os negócios a outro patamar.

Sementes são produtos de alto interesse

Mas antes de falarmos de estratégias, é preciso compreender o real valor do produto que queremos vender. Essa é a primeira dica e talvez uma das mais valiosas desse conteúdo.

Aqui não estamos falando só do significado nu e cru da palavra semente, mas do que as sementes representam. Pequenas e aparentemente comuns, elas estão na base da cadeia produtiva agropecuária.

As sementes são a preocupação do produtor de leite e de carne e impactam até na indústria. Para o gado ser produtivo e forte, é necessário fornecer pastagens de qualidade. Se o óleo que sai da fábrica é bom, parte importante desse sucesso está na semente do grão moído.

Isso sem falar das produções caseiras. Aquelas mesmas que tanto se popularizaram com a pandemia. Com as hortas em vasos ou em pequenos canteiros domésticos, as sementes estão, mais do que nunca, em foco.

Sementes são tecnologia

Quem vende sementes sabe que precisa ter uma autorização do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Trata-se do Registro Nacional de Sementes e Mudas (Renasem). Por meio desse registro, válido para todo o país, uma empresa está apta a lidar com sementes.

O Renasem é imprescindível tanto para quem produz quanto para quem vende. E ainda envolve beneficiamento, reembalagem, armazenamento e outras atividades técnicas. O acesso ao sistema é público e está disponível no portal online do Mapa.

Toda essa burocracia se dá porque as sementes também são tecnologia. Sua produção e armazenagem envolvem estudos e análises para melhor atender o consumidor.

No entanto, esse aprimoramento das sementes não ocorre apenas por questões de competitividade. Sementes podem carregar doenças e uma série de outras fragilidades para um cultivo. Logo, um produto certificado dá maior garantia ao produtor sobre o futuro da plantação.

Veja o caso da soja, por exemplo. Estudos mostram que as inovações tecnológicas envolvidas nessas sementes trouxeram um aumento de 1,5% ao ano em produtividade. Em um cultivo de 40 milhões de hectares, o impacto é de 3,6 toneladas a mais por hectare. Esse ganho equivale a 1 bilhão de dólares.

Otimizando a venda de sementes

Portanto, varejista, vamos dar mais atenção aos seus pacotinhos de sementes. Como vimos até aqui, cada embalagem guarda o sucesso de um plantio, ainda que caseiro. Mas agora, pense comigo: não basta só a semente para o produto dar certo, não é mesmo?

Sendo assim, a venda de sementes também é um chamariz para o que você tem no seu estoque. Desde equipamentos de proteção individual (EPI) a outros insumos, como fertilizantes, adubos, defensivos e ferramentas, tudo para o mix.

O pulo do gato está em saber contar a história que seu cliente precisa ouvir. E nem preciso dizer que também está na boa escolha de fornecedores, não é? Nós, do Martins, contamos com os melhores parceiros do segmento agroveterinário, inclusive com um mix de sementes completo e condições especiais de pagamento e entrega.

A seguir, confira outras dicas e estratégias que vão fortalecer ainda mais a sua venda de sementes.

1. Treine sua equipe

Nunca é demais reforçar a importância do treinamento da equipe da loja. É extremamente importante que, do atendimento à gerência, todos tenham noções básicas sobre o produto que está oferecendo.

Na venda de sementes, o consumidor tende a se interessar mais quando sente que terá a orientação adequada. Logo, sua equipe tem que saber a localização ou como localizar rapidamente o item desejado.

Verifique ainda se todos compreendem as orientações que constam nas embalagens de sementes. Embora as informações sejam padronizadas, cada fornecedor as apresenta de uma forma.

E acredite: nem toda embalagem é fácil de ser lida. Então, esteja pronto para auxiliar o cliente. Além disso, as indicações do rótulo são uma referência para a exposição de produtos.

2. Atenção para as sazonalidades

Pelas características geográficas do país, é difícil padronizar a forma de cultivo de sementes para todas as regiões. Então, que tal buscar informações para a área de abrangência da sua loja? Com certeza, você poderá comprar melhor e dar orientações mais precisas na venda de sementes.

Por exemplo, o milho é um grão amplamente cultivado no Brasil, mas sua produção varia entre regiões. No sul, sudeste e centro-oeste, recomenda-se o cultivo de setembro a novembro. Já no nordeste e parte do norte, o plantio vai de março a abril. Há ainda a safrinha, que corresponde à plantação fora de época.

Isso ocorre porque a diferença de temperatura, bem como outros fatores climáticos, impactam na germinação da planta. Logo, busque suporte para garantir que a venda de sementes no seu PDV esteja alinhada com o ritmo produtivo local.

Tenha o calendário de produção agrícola da sua região para antecipar compras e planejar campanhas específicas. Entenda quais são as prioridades para os diversos tipos de clientes. E identifique as sementes que serão o carro-chefe de cada período do ano para preparar o layout da loja.

3. Feiras Agropecuárias

Para fortalecer a venda de sementes no seu PDV, participe de feiras agropecuárias. Nesses espaços, você tem a oportunidade de se atualizar sobre o mercado e também conhecer novos fornecedores.

Além do mais, as feiras reúnem o público-alvo do seu empreendimento: os produtores. Portanto, leve cartões da sua loja, mostre-se para os clientes potenciais.

E aproveite que este ano é o de retomada das feiras agropecuárias, também afetadas pela pandemia de Covid-19. Em março, por exemplo, foi realizada em Uberlândia (MG), a Feira do Agronegócio Mineiro (Femec).

Agora, no final de abril, acontece a Agrishow, em Ribeirão Preto (SP). De 30 de abril a 8 de maio, tem a 87ª ExpoZebu, em Uberaba (MG). Já de 25 a 27 de maio, tem a Showtec, em Maracaju (MS). E de 31 de maio a 4 de junho, é realizada a Bahia Show Farm, em Luís Eduardo Magalhães (BA).

Coloque a venda de sementes em evidência

Após abastecer o estoque e atualizar a equipe, é hora de organizar o PDV. Crie ilhas com produtos estratégicos para o período. Se na sua região é época de plantar gramíneas para pastagens, você pode destacar as opções de sementes.

Ainda é possível dispor gôndolas com produtos ligados ao cultivo, como ferramentas, botas, equipamentos de irrigação etc. Em geral, as pastagens são cultivadas de dezembro a janeiro. Portanto, uma dica para compras do segundo semestre.

Nas redes sociais, reforce a comunicação com ofertas, dicas e experiências. Por outros canais, como e-mail e aplicativos de bate-papo, envie informativos e lembretes sobre a venda de sementes.

Seguindo essas estratégias, temos certeza de que você vai gostar ainda mais de ter sementes no seu PDV. E não se esqueça que estamos em plena campanha de vacinação contra a febre aftosa, também uma ótima oportunidade para o segmento agroveterinário.

Até a próxima!