As vendas da Black Friday deverão atingir R$2,185 bilhões, alta de 15% na comparação com 2016, aponta o monitoramento da Ebit, empresa especializada em informações sobre o comércio eletrônico brasileiro. A estimativa é que o número de pedidos suba 7,7%, de 2,92 milhões para 3,1 milhões, e o tíquete médio deverá ser de R$695, alta de 6,4%.

          A Black Friday, que neste ano acontecerá no dia 24 de novembro (última sexta-feira do mês), é a principal data do calendário do e-commerce. “A expectativa de crescimento está baseada no aumento do número de consumidores virtuais e na melhora do cenário econômico com controle da inflação, diminuição da taxa de juros e o índice de desemprego.”, explica Pedro Guasti, CEO da Ebit.

          Consumo de Eletrônicos Deve Aumentar
          Além disso, de acordo com uma pesquisa desenvolvida pela Ebit para entender o comportamento dos consumidores virtuais no evento, 81% dos entrevistados pretendem consumir durante a Black Friday. “A data ainda tem muito para crescer no país. Prova disso é que 38% dos consumidores falam que não compram porque não acreditam nos descontos.

          Com a consolidação da Black Friday, a tendência é que essa desconfiança diminua e a adesão aumente.”, afirma. Os dados apontam que 41% dos entrevistados pretendem aproveitar a Black Friday para adiantar as compras de Natal, mas não necessariamente para comprar presentes. Apenas 18% dos consumidores pretendem comprar para presentear, enquanto 59% compram item para uso próprio. Eletrônicos lideram o ranking de intenção de compras, com 34%, seguido de eletrodomésticos (27%), informática (24%), telefonia e celulares (23%). Esta última categoria é a de expectativa de tíquete médio mais alto, de R$1.236.

Fonte: Giro News

www.martins.com.br